Logo APMT
Logo APMT

Onesíforo, o amigo do missionário

Quem nunca se empolgou com o ministério profícuo do apóstolo Paulo. Um teólogo, pastor, escritor, mestre e ainda um grande missionário. Um dos maiores plantadores de igreja que já existiu e um grande expositor das doutrinas bíblicas. Autor de metade dos livros do Novo Testamento, um exegeta, um apologeta, versado nas leis. Um homem com domínio de vários idiomas e dialetos do seu tempo. Um dos personagens bíblicos mais conhecidos por todos os cristãos, sendo reconhecido como o maior expoente do Novo Testamento.

Apesar de o apóstolo Paulo ser tudo o que mencionamos acima, ele era alguém carente de amigos e pessoas ao seu redor. Ele caminhou com Silas, Barnabé e Marcos. Numa cela fria ele roga a Timóteo que venha depressa ao seu encontro (2 Tim 4:9). O gigante do cristianismo sempre precisava de gente amada ao seu lado. Sua espiritualidade não anula sua humanidade. Sua comunhão com Deus não o torna um super-homem. Dentro do seu peito batia um coração sedento por relacionamentos.

Dentre os diversos amigos e companheiros de caminhada que o apóstolo teve, aparece o desconhecido Onesíforo. Quase anônimo, Onesíforo é mencionado apenas duas vezes nas Escrituras Sagradas, em 2 Tm 1: 16-18 e 2 Tm 4:19. Seu nome tem um significado sugestivo “aquele que é útil”. O grande missionário Paulo menciona Onesíforo como um grande amigo.

É interessante notar que é o próprio apóstolo Paulo que enaltece esse homem de Deus. Nos poucos versículos em que é mencionado o amigo Onesíforo, é o próprio apóstolo que faz menção dele. Talvez ele nunca fosse ser conhecido por nós se Paulo não o reconhecesse como um grande amigo. Quais as qualidades que encontramos nesse quase desconhecido amigo de Paulo, nos poucos versículos em que ele é mencionado nas Escrituras?

Onesíforo foi um amigo abençoador. “Conceda o Senhor misericórdia à casa de Onesíforo, porque, muitas vezes, me deu ânimo...” (2 Tim 1: 16). Durante os três anos que Paulo passou em Éfeso, Onesíforo o serviu em diversas circunstâncias. O apóstolo passou dias turbulentos e de grandes lutas, no entanto esse amigo valente o encorajou e lhe deu ânimo. Onesíforo procurava meios de ajudar o apóstolo na pregação da Palavra, aliviando seu sofrimento e suas lutas. Onesíforo foi um amigo abençoador.

Onesíforo foi um amigo de todas as circunstâncias. “...Nunca se envergonhou das minhas algemas” (2 Tim 1:16). Esse amigo fiel não tinha vergonha das humilhações e perseguições que seu amigo enfrentava. Estava ali ao seu lado, nos dias de glória, mas nos dias de lutas também.

Onesíforo foi um amigo fiel. “...tendo ele chegado a Roma, me procurou solicitamente até me encontrar” (2 Tim 1:17). Quando muitos amigos abandonaram o apóstolo, Onesíforo se arrisca a uma viagem para Roma, o que naquela época demoraria em torno de um ano, para encontrar seu amigo apóstolo. Eu fico imaginando Paulo naquele prisão suja, com mal cheiro, sozinho, sentindo-se um derrotado... Então chega o carcereiro e diz “tem visita para você”. E quando Paulo o avista diz “Onesíforo eu sabia que você viria”. Quando muitos amigos de Paulo o haviam abandonado, Onesíforo aparece como o amigo fiel na hora que antecedia sua morte.

Onesíforo foi um amigo servo. “E tu sabes, melhor do que eu, quantos serviços me prestou ele em Éfeso” (2 Tim 1:18). Onesíforo não se exalta pelo seu ministério de servo, mas é o apóstolo que o elogia. É Paulo quem o enaltece, reconhecendo seu ministério de servo, prestando muitos serviços no tempo que Paulo esteve em Éfeso, que foi um tempo bem difícil. O amigo servo serve sem precisar de reconhecimentos. Ele serve porque é servo.

A vida missionária muitas vezes é de grande solidão. O missionário em terras distantes, por diversas circunstâncias, não tem ninguém para abrir o coração ou para apoiá-lo nas horas das lutas. Isso tem sido a causa de muitos obreiros voltarem prematuramente para suas igrejas... a falta de um ombro amigo. Como líderes, pastores, missionários, precisamos muito de Onesíforos em nossa vida. Precisamos de gente ao nosso lado, nas vitórias e nas lutas.

Que Deus nos ajude, como missionários, a estarmos dispostos a sermos humildes o suficiente para buscarmos o nosso Onesíforo. Que o Eterno desperte em nossas igrejas irmãos e irmãs dispostos a serem Onesíforos nas vidas dos missionários no campo. E que juntos possamos cumprir o chamado que o Pai tem para cada um de nós.

Rev. O. F.

Publicações recentes:

João Marcos e Andrea

Cartas de Missionários

APMT marca presença no Congresso da APECOM 2024

Notícias

Rev Vinícius e Elizabeth

Cartas de Missionários

Ana Karina

Cartas de Missionários