Skip to content

Tábata Mori

Timor Leste, agosto de 2022

Deus está aqui, Aleluia!

Eu estou no Timor há pouco mais se cinco meses e minha curiosidade tem se deliciado com sons, sabores, cores e conhecimento.

Provavelmente não foi a primeira coisa que você pensou, mas uma das coisas que têm me fascinado é o tempo. Por exemplo, perguntei ao Aniso que horas ele vai pra escola e ele respondeu “sozinho você não vai, quando todo mundo estiver indo, então você vai”. Perguntei à mana Maria até que horas era o descanso antes de sairmos pra visita e ela respondeu “quando acabarmos de descansar tudo, então podemos ir”.

O tempo é diferente por aqui e eu tenho aprendido muito com os timorenses, uma coisa só acontece depois da outra e enquanto esta acontece, ainda não é o tempo da próxima. Quanto tempo demora? Aqui não se demora, quando acabar, acabou. Isso me faz ver com mais clareza o tempo de Deus, minha oração há algum tempo deixou de ser “me envia”, para “me envia no tempo certo, na plenitude, quando todas as coisas vão caminhar naturalmente”, assim como chega o tempo do milho, chega o tempo do Timor. Eu creio que Deus me trouxe no tempo certo!

Outra oração que fiz com frequência foi o clamor pela presença de Deus e mais, que ele fosse à minha frente, abrindo o caminho, as mentes e corações. Logo, não foi surpresa perceber que Deus está aqui e ele está aqui há muito tempo! Eu tenho tido a grata oportunidade de entrevistar algumas pessoas sobre a história da Igreja e, mais especificamente, da Igreja Presbiteriana no Timor-Leste. As bênçãos e as superações de cada irmão e irmã enchem meu coração de alegria e abrem meus olhos para a presença de Deus nesse lugar!

Espero que ao ler essas notícias, sua reação seja a mesma: Deus está aqui, Aleluia!

Missionária Tábata Mori   https://linktr.ee/TabataMori

CURTAS MISSIONÁRIAS

Você ensina Bíblia?

Essa foi a pergunta da Fátima da varanda do primeiro andar. Olhei para cima e “Sim, eu ensino Bíblia”. E ela disse “eu quero aprender Bíblia!”.

Eu subi ao Kos, tipo uma pensão e nos conhecemos um pouco. Apesar dos meus dois meses e pouco no Timor e um Tetun ainda precário, entendi que não poderia dizer não a esse pedido, afinal, é para isso que vim.

Fátima, Júlio e Asis são meus vizinhos em Dili e, como fazemos os estudos na cozinha do Kos, a cada semana, alguns se juntam a nós.

A Jenesia, de 13 anos, participou do seu primeiro estudo bíblico. Como sempre, eu comecei perguntando quem era Jesus pra ela e ela respondeu que ainda não sabia nada sobre Jesus. Ela se lembrava de já ter ouvido a palavra Evangelho, mas também não sabia do que se tratava. Tivemos uma longa conversa introdutória sobre a Bíblia e Jesus. Nona e algumas mulheres do mercado perto de casa também se interessaram por estudar a Bíblia, estamos para começar um grupo novo, à tarde, pois elas trabalham a manhã toda e a partir das 16h.

Orem por esses nomes que mencionei e peça a ação do Espírito sobre eles e, claro, sobre mim!

 

Crianças para Jesus!

Em Loes eu ministrei pela primeira às crianças, ainda no mês de abril. Em junho, fizemos um intercâmbio de oração com um grupo de crianças e adolescentes do sul do Brasil, iniciativa do Mutirão Mundial de Oração por Crianças e Adolescentes realizado pela Rede Maos Dadas https://www.maosdadas.ong.br/

Em julho, já com o Tetun um pouco mais avançado, pude realizar uma tarde de atividades quando aprendemos sobre a Oração do Pai Nosso, cantamos, oramos e brincamos com a tia Lia. Atualmente a igreja não tem crianças, mas com a atividade, umas três começaram a vir e já realizei um treinamento para quem quisesse ensinar na EBD. Eles tiveram que trabalhar bastante, pois aprenderam a preparar uma aula do zero, considerando que não têm nenhum material de apoio.

 

Uma vida segundo a fé!

Com três meses no Timor a pra Delfina achou que eu já tinha Tetun suficiente para pregar, eu temi e tremi, sentimento que eu peço a Deus para não perder quando se trata de compartilhar sua Palavra.

Na ocasião, eu não pude pregar por questões de visto e saúde, por fim, pedi a ela que esperasse mais um pouco. Foi em 17 de julho, a um dia de completar cinco meses no Timor, que eu preguei pela primeira vez na Língua Tetun. O sermão foi sobre sobre “Uma vida segundo a fé”, em Colossenses 2.6-7. Apenas dois versículos, mas um grande desafio e, claro, o temor ainda persistia, mas se ia ensinar sobre isso, que eu fosse a primeira a viver segundo o que cria: Deus está aqui e eu estou aqui por causa dele!

A alegria e gratidão que senti são indescritíveis, pois eu aguardei muito tempo para pregar aos Timorenses. Ao Senhor toda a glória!

O desafio de uma comunicação contextualizada ainda é grande. Orem por isso!

 

Pesquisa Histórica e Antropológica

Tenho visitado várias igrejas presbiterianas e quanto mais ando, mais eu vejo a presença de Deus sustentando esses irmãos com fé tendo tão poucos recursos.

O José Alves, em Asu-Bilitoho, se batizou em 1984 e recebeu uma Bíblia em Português. “Você compreende português?” perguntei. “Não”, respondeu, mas ele tentava ler mesmo assim. No ano seguinte, já tempo da presença indonésia no Timor (1975-99) ele aprendeu a língua e recebeu uma Bíblia em indonésio. “A Bíblia em Tetun ainda não está pronta”, diz ele, aguardando com expectativa!

Existem traduções que são consideradas não fieis e um aplicativo da Bíblia incompleto, atual trabalho da SIL/APMT.

No mais, já visitei oito igrejas fora a capital e entrevistei três pessoas sobre a história da Igreja Evangélica Presbiteriana Timor-Leste (IEPTL) e já participei de seis cerimônias relacionadas à casamento.

 

Para onde irei? ORE COMIGO!

Mais uma vez eu peço a direção de Deus e conto com suas orações.

Atualmente, moro em Dili, capital, mas não é onde eu quero me fixar, embora deva manter minha kitnet lá para as muitas vezes que precisarei resolver coisas em Dili. Tenho visitado vários lugares e tenho pensado entre Aileu Vila e Loes.

Aileu Vila não tem Igreja Presbiteriana, mas tem uns jovens “sem pastor” por lá e precisaria de um bom carro 4×4 para visitar as igrejas. Fica bem central em relação à distância das igrejas presbiterianas do Timor em outros distritos. Loes tem uma igreja pequena, com muito serviço para fazer, mas já dirigida pela pra Delfina. Ela fica na estrada que liga Dili à Indonésia e próximo tem um porto em construção. Teria espaço no terreno da igreja caso eu quisesse construir minha casa.

Em 2016, eu optei por Aileu, mas estava e estou aberta à direção de Deus. Quero servir à igreja, mas meu projeto principal não é plantação de igreja, mas sim uma editora, quem sabe gráfica. Eu conto com suas orações, pois há necessidade em todo lugar, mas creio que Deus me orientará para o lugar onde ele me quer. 

 

ORE TAMBÉM:

  •  Pela contínua adaptação do corpo e do espírito;
  • Pelo contínuo aprendizado da Língua Tetun e por disciplina para o estudo formal;
  • Pelo processo de renovação do visto de voluntário (4 meses de validade);
  • Pelas visitas aos distritos e pelo contato com os cristãos;
  • Pelos estudos bíblicos no Kos, em especial, pela Fátima, Júlio, Asis e Nona;
  • Pela Jenésia, que deve continuar os estudos bíblicos com a missionária Lia;
  • Pela direção de Deus para comunicar o evangelho de forma clara por meio das pregações;
  • Pela Igreja Evangélica Presbiteriana de Loes e pela pra Delfina que se casa mês que vem;
  • Pelas entrevistas sobre a Igreja Protestante e a Igreja Presbiteriana (que antes eram uma única denominação);
  • Pela pesquisa sobre casamento;

 

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos