Skip to content

Silvia H. Octaviano (África do Sul) – 11/05/2011

Laura e eu passamos a fazer aulas de Libras (Linguagem de Sinais) toda segunda-feira. Os professores são cristãos dedicados, surdos que trabalham com surdos numa igreja em uma das maiores favelas da cidade, em Khayelitsha. Que Deus nos ajude a desenvolvermos mais essa ferramenta de comunicação.
 
Sheila ganhou uma irmãzinha: Hosana nasceu dia 12 de março, filha de Alex e Concília, refugiados do Burundi. No final de março Alex participou do curso de treinamento para professores de Inglês como segunda língua (TEFL) promovido pela SALA South African Language Academy – um investimento do C-STEP para o aperfeiçoamento dos seus dons de ensino.
 
Alex também se inscreveu para um curso online de Teologia no Instituto Bíblico de Cape Town, empreendimento que vai demandar muito esforço e dedicação, já que ele trabalha em turnos. Oramos pedindo a Deus que continue abençoando toda a sua família e lhe dê força, sabedoria, estabilidade no emprego e uma nova casa (eles saem até o final de maio do local onde moram atualmente).
 
Motivo de louvor: Laura passou em todas as matérias no primeiro termo (o ano escolar aqui se divide em 4 termos). Ela está bem feliz na nova escola.
Nas férias de Páscoa Laura teve uma nova oportunidade de emprego temporário e auxiliou no registro dos corredores para a Maratona Dois Oceanos, um evento internacional que acontece anualmente na cidade. Agradeçam comigo pela vida da minha menina e peçam a Deus que ela continue crescendo e amadurecendo no seu relacionamento com o Senhor Jesus.
 
Rev. Gessé e Iolanda viajaram a Madri para reuniões com Rev. Carlos Del Pino e Rosa, missionários responsáveis pela Base Europa da APMT. Os encontros beneficiaram muito o projeto de implementação da Base do Sul da África. Orem conosco louvando por mais uma etapa cumprida.

Agora, um motivo especial: peço orações por Suzette, uma das prostitutas que aguardam clientes na avenida em frente à igreja.
 
Conheci Suzette em 2009 e passei a conversar com ela toda vez que lhe oferecia um café, coisa que fiz com várias delas a título de contato e relacionamento.
 
Quando a conheci, Suzette trazia para as ruas sua filha de 2 anos, Simonei, uma menina esperta e encantadora. O Serviço Social logo veio e levou Simonei para uma família temporária. Ano passado, quando voltei do Brasil, soube que Suzette estava grávida novamente. Mário nasceu dia 6 de fevereiro de 2011.

Suzette é alcoólica e Mário nasceu com cerca de 1,5Kg. O Serviço Social veio no início de março e levou Mário para outra família temporária.
 
Levei Suzette para procurar abrigo numa casa para mães solteiras, mas naquele local só aceitam mães com filhos e hoje Suzette não os tem consigo. Ela continua bebendo muito e não quer ir para uma casa de tratamento. Continua vivendo na rua, dorme encostada num muro, sua casa é um “arbusto”, como ela mesma fala se referindo à pequena árvore perto do local onde vive.

Amo Suzette porque sei que o que separa o meu estilo de vida do dela é só a graça de Deus Pai. O sacrifício de Jesus é suficiente para pagar pelos nossos pecados, mas o Espírito Santo ainda não tocou seu coração a ponto de deixá-la sem escolha a não ser confrontar-se com sua absoluta e total falta de capacidade para salvar-se a si própria. Ela ainda quer tentar por si mesma, e é tão difícil vê-la assim!

Levei Suzette para visitar seu bebê e registrei em fotos. Também tirei fotos dela para a carteira de identidade, coisa que eu duvido que consiga, já que não tem endereço ou telefone. Vez ou outra trago doação de roupinhas para o bebê. Continuo conversando sobre como seria bom se ela entendesse que não está sozinha na sua luta por mudanças – ela pode contar com a ajuda de Jesus!

Mas Suzette não quer mudar – ainda. Ela tem medo. Disse que jamais ficaria à frente de um grupo para se declarar alcoólica, embora tenha consciência do seu terrível vício na “garrafa verde”, como ela chama a bebida.

Eu, da minha parte, continuo orando com ela e por ela, continuo falando que existe, sim, Alguém em quem ela pode confiar, que Deus a ama e quer ajudá-la a mudar o rumo da sua vida. Ela ri e me abraça. E eu fico feliz porque sei que, do seu jeito, ela me ama também.
 
Orem comigo para que a conversão de Suzette seja uma questão de tempo, e que seja em breve. Orem por Rose, Nikki, Swetty, Ntombentsha e outras que vivem da prostituição. Orem para que os membros da KCPC se envolvam nesse ministério de misericórdia e desenvolvam estratégias para alcançar as mulheres que trabalham nas ruas em volta da igreja.
 
Que Deus continue a nos abençoar fazendo-nos instrumentos na expansão do Seu Reino e da Sua Justiça!

GRANDE abraço.

Sílvia
 

 

Compartilhe esta postagem

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on print

Últimas postagens

Arquivo

Arquivos

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativo