fbpx Skip to content

Segurar as cordas, quem? Eu?

“Segurar as cordas” é uma expressão que significa participar do trabalho missionário de maneira não presencial fisicamente no campo. É, antes de tudo, ir com o missionário, sem estar no campo diretamente. Os que ficam em seus países, deveriam entender que “segurar as cordas” é muito mais que citar o nome de um missionário uma vez por mês em um momento de culto ou oração, ou mesmo enviar recursos financeiros, a cada mês, para quem Deus direcionou aos campos transculturais.

Em março de 2017, fiz uma viagem missionária para o Nepal, a fim de acompanhar um grupo de irmãos que tem capacitado plantadores de igrejas naquele país.

Entrar em contato com uma cultura totalmente diferente da nossa, andar por um país completamente diferente de nossa estrutura religiosa, em que 90% dos nepaleses são hindus e 8% budistas, e ainda assim ver a boa mão do Senhor salvando seu povo e levantando homens com a disposição de trabalhar por lá, foi confrontador.

O trabalho dos irmãos da Igreja Presbiteriana do Nepal é de “formiguinha”, mas digno de louvor. Eles não têm capacitação teológica como nós, templos e recursos como temos, e nem abertura para falar de Cristo como o Brasil possui, mas ainda assim têm feito o que o Senhor lhes comissionou a fazer (Mt 28.18-20). Voltei para o Brasil com uma sensação de indolência. Parecia que estava dormindo um sono desobediente, tal como Jonas no porão daquele navio rumo a Társis.

No domingo subsequente a minha chegada, prestei relatório sobre a viagem, à igreja que pastoreio, e fiz um desafio a quem quisesse se envolver no trabalho de “segurar as cordas” da obra missionária. Nossa igreja, a Primeira Igreja Presbiteriana de Guarulhos, sempre foi parceira financeira de alguns missionários, o que de fato é um bom começo, mas não poderia parar por aí. Na quarta-feira seguinte, um grupo surpreendente de 34 irmãos se reuniu a fim de se envolverem com missões de um modo mais direto. Confesso que Deus me surpreendeu, pois pensei que no máximo uns 10 irmãos apareceriam… mas 34!? Foi uma grande dádiva do Senhor. Naquela noite, apresentei um esboço de revitalização do DAME – Departamento de Auxílio Missionário e Evangelização, e disse para começarmos com todos os missionários que nos últimos anos haviam passado pela igreja, divulgando seus projetos. Naquela noite, decidimos propor parceria com 10 missionários, orar por eles, nos relacionarmos com eles, para saber seus desafios e lutas, levantar recursos para abençoá-los financeiramente e ainda fomentar na igreja o aprendizado e atuação de missões em nível local.

Hoje, passados pouco mais de dois anos, nossa igreja está ativa no trabalho de “segurar as cordas”. Fazemos contato regular com cada um desses missionários, nos reunimos todos os domingos em reunião de oração para clamar por eles e pelos países onde estão, promovemos eventos com a finalidade de captar recursos para o envio missionário, o que fazemos mensalmente através da tesouraria da igreja, organizamos conferências e trazemos missionários a fim de aprender mais.

O que melhor aprendi em tudo isso foi que nossa igreja hoje está não só em Guarulhos, mas também no Nepal, Uruguai, China, Nova Zelândia, África do Sul, Indonésia, França e Panamá. A igreja colhe frutos e vê o crescimento local como uma forma de resultado do trabalho que o Senhor comissionou a todos fazermos, eles lá e nós aqui, juntos.

Que você se sinta encorajado a mobilizar sua igreja. Pastor, converse com sua liderança! Membro, converse com seu pastor e com seus presbíteros. Seja você um pastor, um presbítero, um diácono ou um membro engajado na nobre tarefa de segurar cordas dos que foram aos campos.

Você não precisa ir ao Nepal para entender que o Senhor te chama a trabalhar para Ele aqui, basta olhar os campos e ver que já estão brancos, esperando ser ceifados. 

Venha trabalhar na Seara do Senhor segurando as cordas dos que trabalham diretamente nos campos. Entenda, aqui ou no Nepal, Deus nos chamou à obediência! Quando você se perguntar “eu, segurar cordas?” responda alegremente “Sim! Quero segurar as cordas dos que foram levados pelo Senhor aos campos a semear a boa Palavra do Reino de Deus.”

Rev. Itamar Honório Corrêa Jr.

Compartilhe esta postagem

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on print

Últimas postagens

Arquivo

Arquivos

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativo