Skip to content

Rev. Marcio e Elisângela Magalhães (Povos indígenas) – 03/10/2016

Graça e Paz

Já passaram seis meses desde que voltamos para o campo missionário aqui no Alto Solimões. Neste tempo temos visto como a graça do Senhor e seu grande amor para conosco tem nós dirigido em uma região tão desafiadora.

Deus é bom, pois, inicialmente obtivemos resultados surpreendentes! Começamos as viagens para as aldeias das margens do rio Javari do lado Peruano e louvado seja Deus, pois, através desses primeiros contatos nós nos alegramos em ver que o campo está pronto para a colheita. Notamos o grande interesse dos nossos irmãos indígenas de se aproximarem de nós. Contamos com a ajuda de uma pequena equipe de missionários que atuam na região a qual pela graça temos reunido os nossos recursos para chegarmos ao Javari, pois, cada viagem custa em média R$ 5.000,00 (Cinco mil reais).

Isto nos alegra muito, pois, ao retornamos à região pensamos que iriamos trabalhar sozinhos no início. Mas vemos o agir de Deus em unir alguns dos missionários que moram na região para nos ajudar dando informações e de outras maneiras unindo seus esforços, recursos, e nos ajudando em oração e comunhão. Estamos nos reunindo semanalmente para debater e orar pelo Vale do Javari, e juntos traçarmos estratégias para nossas ações missionárias. Dentre estes se encontram um casal de coreanos, uma americana da Califórnia, Colombianos, indígenas Ticunas e Matses e os brasileiros. Temos percebido que Deus tem nos dado uma Equipe de trabalho, e desta forma percebermos que não estamos sós, mas, que pessoas de diferentes nações têm procurado se unir para alcançar um objetivo comum, que é levar o evangelho a todos os povos ainda não alcançados.

Também temos apoiado na capacitação e no discipulado dos indígenas que estão mais próximo de nós em aldeias já contatadas dos Ticunas, Kokamas e Yaguas. Em outubro e novembro teremos uma capacitação com a participação de 26 jovens indígenas de 18 a 22 anos. Estamos com grandes expectativas sobre este curso.

Inauguramos no dia 11 de setembro uma igreja Presbiteriana Indígena, em uma comunidade (aldeia) indígena em frente à cidade de Leticia na Colômbia, chamada Ilha da Fantasya. Estamos orando para que o Senhor nosso Deus levante um líder local para nós ajudar com está congregação.

Quanto a nossa Família estamos todos bem, a Camila e o Caio nos impressionam, pois, percebo como eles se adaptaram com a cultura, a língua a comida. Nosso filho Caio de seis anos tem como seu prato preferido o peixe com farinha e, detalhe, farinha indígena, e a Camila de doze anos já está falando fluente o espanhol com suas amiguinhas colombianas. Como é bom vermos nossos filhos felizes em estar aqui conosco nesta região. Deus os tem preparado para estar aqui conosco no campo!

Queremos também expressar nossa gratidão por todos os nossos irmãos que nos tem acompanhado orando pelo projeto e por nossas vidas e pelas igrejas que nos tem procurado para somar conosco em oração. Louvamos a Deus por essas iniciativas de contato e de oração.

Pedimos desculpas pela demora em responder ou enviar novas informações, pois, no momento não temos internet em nossa casa e algumas vezes estamos nas aldeias, por isso muitas vezes não os respondemos de imediato. E, além disso, na cidade estamos em racionamento de energia e no decorrer do dia ocorrem constantes interrupções no fornecimento de energia elétrica devido à seca do rio e à dificuldade de chegar a tempo o combustível para a usina termo elétrica aqui na cidade, o que também traz alguns transtornos quanto aos serviços de telefonia celular.

Nosso novo endereço é Rua Coronel Berg, nº 20, bairro Portobrás, Tabatinga-Am, CEP 69.640-000, nossos telefones para contato são: Marcio (19) 971 091209, (97) 991 668257, Elisângela (97) 991 668610. Email: marcio_aml@hotmail.com e elisasantosm@gmail.com.

Temos sempre orado por todos os nossos parceiros e irmãos queridos que nós tem acompanhado em nosso projeto. Graças rendemos por todos vós.

Pedidos de Oração

  • Pelos recursos para realização dos trabalhos missionários. Dentre eles as viagens às comunidades indígenas e à cidade de Atalaia do Norte e manutenção do projeto, pois cada viagem à Comunidade Limoneiro como já mencionamos fica em torno de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) e as viagens para Atalaia R$ 500,00 (Quinhentos reais) semanais.
  • Por recursos para comprarmos um barco com motor para as viagens de capacitação e para o lado peruano.
  • Pela saúde de nossa família. Em especial a do Caio, que terá que se submeter a uma cirurgia para a retirada de um “caroço” nas costas.
  • Por mais obreiros na região.
  • Pelas novas igrejas plantadas nas aldeias (comunidades) indígenas.
  • Pelo curso de capacitação, de 04 a 22 de outubro, na comunidade Sto. Antônio, em Benjamim Constant.

 

Rev. Marcio Alexandre, Elisângela, Camila e Caio.

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos