Skip to content

Rev. Luiz Otávio e Janete

Cidade do Panamá, 13 de junho de 2022.

A Igreja nasceu. Finalmente foi emitida a resolução, assinada pela vice-ministro do governo, que reconhece a personalidade jurídica da Igreja Presbiteriana do Panamá. Sabemos que Deus é quem elege seus escolhidos, planta igrejas, chama e capacita missionários para glória de seu nome.

Mas tal documento possui um caráter distinto e com grande efeito. Ter em mãos esta “certidão de nascimento” nos traz grande gozo, pela alegria e esperança de ver cumprir-se no Panamá o plano de Deus em estabelecer uma igreja de fé reformada. Um sonho há muito colocado no coração da APMT e de missionários.

Por isso o enorme sentimento de felicidade. Existe uma nova denominação no Panamá. Há Igreja Presbiteriana neste país. Muitos oraram, alguns vieram, outros foram despertados ao longo do tempo e também se estabeleceram aqui para continuar e avançar no projeto de ver vidas alcançadas pela misericórdia e graça do Senhor.

O processo para obter a “personería jurídica” foi iniciado em agosto de 2019. Ainda sem conhecer a realidade administrativa e jurídica, com seus trâmites e burocracia próprios, e com a natural ansiedade, sofremos em angustia e suportamos pressão contínua. Ao conversar com um pastor batista e um missionário líder de agência missionária do Panamá no ano passado, ambos trouxeram tranquilidade. Passou o mesmo com eles. Então continuamos em oração e pela fé sabíamos que o momento chegaria.

Aprouve ao Senhor que fosse justo quanto recebemos a visita do coordenador de projetos e líder das Américas da APMT, Rev. Cácio Silva. O funcionário público encarregado do expediente me avisou antes mesmo do advogado da Igreja. Ele sabia da expectativa pela notícia. Por muitas vezes tinha sido convidado para conhecer a Igreja. No domingo seguinte, 05 de junho, quando celebramos no culto e com um almoço comunitário, ele veio.

Em momento tão especial para a Igreja Presbiteriana, lembramos de muitas pessoas: Rev. Gilberto Botelho, Cristina e seus queridos filhos;
missionários Alexandre e Cassiana que estiveram aqui (ainda somente com Vicente e Bela); e os que estão no Panamá, Rev. Paulo Oliveira e Quézia, Rev. Raimundo Montenegro e Veridiana (ambos com os filhos), e missionários Joaquim Rodrigues e Elizabeth. E também, de inúmeros missionários de oração, igrejas, parceiros e amigos, nos quais Deus colocou a mesma paixão.

Um ciclo se fecha e se abre uma nova etapa para a Igreja Presbiteriana do Panamá. Como agradecer, pergunta um conhecido hino, por tudo o que Deus tem feito. A resposta vem em seguida: a Deus toda glória.

Pr. Luiz Otávio, Janete, João Otávio e Tiago

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos