Skip to content

Rev. Jessé e Helen Fogaça (Timor Leste) – 10/09/2013

"Tu ordenaste os teus mandamentos, para que os cumpramos à risca. Tomara sejam firmes os meus passos, para que eu observe os teus preceitos." Salmos 119.4-5

Queridos

Desta vez escrevemos da Papua Nova Guiné. O Senhor tem sido zeloso para com as nossas vidas e em tudo tem suprido as nossas necessidades. Nos sentimos honrados em podermos participar da obra que Ele tem realizado e ser servos no ministério que Ele nos confiou. Também somos muito gratos a Deus pela vidas dos irmãos que, de diversas formas, tem nos apoiado.

Nestes dois meses que aqui estamos temos conhecido uma realidade um tanto diferente do que já havíamos vivenciado. A Papua Nova Guiné tem um sólido histórico de trabalho missionário realizados em diferentes contextos e épocas. Contudo, ainda assim é um dos grandes desafios para o trabalho de tradução da Bíblia. Neste ilha, coexistem mais de 800 línguas, sendo que mais de 300 povos aguardam uma oportunidade para que possam ler as Sagradas Escrituras.

Experimentamos um pouco desta diversidade em uma das atividades que aqui realizamos. Em uma caminhada de 3 dias na selva, visitamos dois povos distintos falantes das línguas Nobonob e Wagi. Minha tarefa era de coletar dados destas duas línguas e compará-las, verificando o seu grau de compreensão entre si. É sempre fascinante presenciar a diversidade cultural e linguística que manifestam a infinita criatividade do nosso Deus. Realmente somos privilegiados por vivenciarmos realidades tão distintas.

Outra gratificante experiência que tivemos foi de sermos "adotados" pela Maria, nossa irmã em Cristo. Durante 3 noites ela carinhosamente nos hospedou e compartilhou dos alimentos que ela cultiva na sua horta. Maria é uma Nobonob e trabalha no processo de tradução para esta língua. Ela é parte da equipe que  realizou as verificações do Antigo Testamento. Sua história preferida é a de José J. Aprendemos muito com esta preciosa irmã.

Neste sexta-feira (11/10) partimos por 5 semanas para estarmos entre o povo Bawak, falantes da língua Kiaga. Serão 35 dias de relacionamento e aprendizado com este povo que tão generosamente tem nos acolhido. Já fizemos os primeiros contatos e o líder da aldeia e sua família ficaram responsáveis em nos receber e hospedar. Esperamos que, neste tempo, consigamos cumprir todas as nossas atividades programadas e apresentarmos um testemunho que seja sal e luz e glorifique ao nosso Deus. Caso tenha curiosidade, é possível digitar as seguintes coordenadas (S 05°29.044’, E 145°41.971’) no google maps para encontrar o exato lugar onde estaremos. Neste tempo, infelizmente não teremos nenhum acesso à internet. Não deixe de nos escrever por este motivo. Sempre nos alegra recebermos e lermos os emails de todos. Sempre que necessário (mesmo que demore um pouco) responderemos a todos os emails.

Pela graça do nosso Deus estamos bem de saúde. A Rebeca está se recuperando de uma Giardia e infecção nos dois ouvidos. Mesmo um pouco abatida, suas energias não se esgotaram e esta sempre elétrica. Ela, como todas as crianças, tem nos surpreendido com sua facilidade no aprendizado de diferentes línguas. Sua adaptação tem sido muito tranquila. Helem também já está se recuperando de uma labirintite viral, que a deixou bem enfraquecida por alguns dias. O Senhor tem sido misericordioso.

Se o Senhor permitir, dia 22 de novembro retornaremos ao Timor-Leste, nosso principal campo de trabalho. Nossos amigos já nos aguardam e teremos uma agenda bem corrida nos 3 primeiros meses. Ainda há muito trabalho para que todos possam ler a Palavra de Deus na sua própria língua. "Rogai, pois, ao Senhor da seara que mande trabalhadores para a sua seara" (Mt 9.38). Ao Senhor seja toda glória.

Um grande e forte abraço a todos,

Em Cristo,

Jessé, Helem e Rebeca Fogaça

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos