Skip to content

Rev. Gessé Rios e Iolanda

Africa do Sul, outubro de 2021

“Portanto assim diz o Senhor DEUS: Eis que eu assentei em Sião uma pedra, uma pedra já provada, pedra preciosa de esquina, que está bem firme e fundada; aquele que crer não se apresse.” (Isaías 28:16a)

Pela graça de Deus, seguimos nossa vida e trabalho firmados nEle, “a pedra fundamental” que jamais será abalada. Nossa confiança nessa verdade não vem de nós mesmos, mas das Escrituras que nos diz: “não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares. Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza.” As crises que o cercam, próprias dessa natureza caída, não têm poder de nos paralisar porque estamos firmes nEle, a pedra angular que jamais se abala. Ele continuará sendo o nosso socorro, sempre presente.

A cirurgia da Iolanda lhe trouxe bastante alívio. Já não sente mais nada no joelho. Quanto às nossas taxas de colesterol, não podemos dizer a mesma coisa. Estamos lutando contra isso, cuidando o máximo de nossa dieta e tentando fazer alguma atividade física. Graças a Deus completamos a imunização contra Covid-19, com as duas doses da Pfizer, o que nos deixa um pouco mais tranquilos. Os novos casos da doença, sobretudo os casos mais sérios, caíram consideravelmente. Nossos filhos estão bem e também já foram imunizados contra o Covid-19. Leonardo segue seus estudos e trabalhos na Universidade de Groningen (Holanda). Philipe tem andado muito atarefado com seus trabalhos e, agora sozinho, com os cuidados da casa também. Guilherme também tem andado bastante ocupado com suas responsabilidades no departamento de TI do Mukhanyo Theological College.

Recentemente, por ocasião do meu aniversário, os três se juntaram e me deram de presente uma nova câmera fotográfica (Canon PowerShot SX540 HS). A minha havia sido roubada no arrombamento em nossa casa no ano passado. Por bondade do Senhor e por Sua infinita graça, completei 60 anos de idade. Em função de histórico familiar e até mesmo por conta de minhas limitações com a saúde, achava que jamais chegaria a essa marca no tempo. Comemorei fazendo o que gosto de fazer, andar no mato, ou melhor, caminhar e pedalar nas savanas. Assim, juntamente com o Gui e Iolanda tive um dia bastante agradável.

A situação na África do Sul está mais calma com relação aos recentes distúrbios que deixaram quase 300 mortos. Agora o país se prepara para as eleições municipais e as preocupações aumentam durante os períodos eleitorais no país em função do aumento da violência motivada pela política. Esse ano existe ainda um fator de preocupação a mais, ou seja, a onda crescente de desemprego o aumento sistemático da pobreza extrema causada pela pandemia. Nossa igreja tem feito grandes esforços através da sua junta diaconal para assistir membros da igreja, e de igrejas irmãs, em situação de maior vulnerabilidade.

Recentemente fomos à província de Mpumalanga. Passamos um final de semana em White River com os nossos colegas Rev. Vinícius e sua esposa Elizabeth, juntamente com a sua filhinha Esther, que atuam num projeto de plantação de igreja naquela região. Foi um tempo maravilhoso de compartilhar, encorajamento mútuo e oração. Há algumas semanas nossa irmã Beth sofreu um aborto espontâneo. Louvamos a Deus que ela está bem e agora, com a situação dos vistos resolvida, estão se preparando para o retorno ao Brasil para descanso e cuidado da saúde na família.

Neste momento estamos organizando nossa viagem ao Brasil para termos um tempo com os meus familiares. Será a primeira vez que retornaremos sem contarmos mais com a presença de minha mãe. Ainda aguardamos resposta do Dpto de Assuntos Internos do país sobre nosso pedido de renovação de vistos. Já se foram mais de 10 meses desde que submetemos nosso pedido, mas até o presente não há resposta definitiva. No entanto, recebemos mensagens no início de outubro indicando que o resultado ficará pronto nos próximos dias.

Gratidão e louvor: 

  1. Pela proximidade de pegarmos os nossos vistos;
  2. Pala saúde dos nossos filhos;
  3. Pelo fim dos distúrbios sócio-políticos no país;
  4. Pela saúde dos nossos colegas na região;
  5. Pelo visto da missionária Mônica Alves para o trabalho em Moçambique ter sido aprovado;
  6. Pela expansão do trabalho dos nosso irmãos Ana Cristina e Maurício no Zimbábue;
  7. Pela rica experiência que tem sido para o Leo em suas pesquisas junto à Universidade de Groningen.

Intercessão e súplica:

  1. Pela finalização dos nossos vistos e por nossa viagem ao Brasil para um tempo com nossos familiares, tratamento de saúde, etc.;
  2. Pelos recursos financeiros para a aquisição de nossas passagens;
  3. Pelas eleições municipais na África do Sul no final de outubro;
  4. Por Brigitte, uma jovem zimbabuense mãe de duas crianças, a quem estamos discipulando;
  5. Por total recuperação na saúde da família Bantim;
  6. Pela família Machado no aguardo para retornar ao campo em Moçambique;
  7. Pela viagem e adaptação da missionária Mônica em Moçambique;
  8. Pela viagem do Leo e pelos trabalhos que precisará desenvolver ali, para que em tudo o Senhor seja glorificado.

 

Um abraço fraterno,

Rev. Gessé e Iolanda Rios

Via APMTcód. de identificação 0,14 centavos (R$ 100,14):

Banco do Brasil – Agência: 5853-X (Cambuci) – C/C: 7500-0;

Bradesco – Agência: 119-8 (Cambuci) – C/C: 107965-4;

Transferência online – CNJP: 04.138.895/0001-86;

Boleto bancário – (011) 3341-8339 [email protected]

Em Conta pessoal

Banco do Brasil – Agência 8413-1; C/C ou Poupança (variação 51): 14116-X

Bradesco – Agência 0250-0; C/C ou Poupança: 0052042-0

Para contribuir com o nosso trabalho: PIX 253.072.585-34

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos