Skip to content

Rev. Gessé Rios e Iolanda

Africa do Sul, janeiro de 2021

 

“Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó”. Salmos 103:14

 

A bíblia nos ensina e 2020 evidenciou de forma bem prática na vida dos filhos de Deus e, particularmente, na vida missionária, que Ele é o Senhor da história, tem o mundo em suas mãos e não há crise que se sobreponha à Sua misericordiosa intervenção. Ele nos fez, portanto sabe que somos pó, absolutamente dependentes dEle. Já no início de 2020, antes mesmo de começarem “lockdowns”, prevíamos que teríamos um ano difícil e foi.

Isso mesmo! Ficou claro para nós que, se Deus enviou codornizes e maná no deserto (Ex. 16 e 17), usou corvos para sustentar o Seu profeta de pão e carne, fez perene a farinha da panela e azeite da botija para o sustento da viúva e seu filho (1 Re. 17), etc. Certamente esse Deus imutável faria e fará o mesmo para cuidar do Seu povo no dia que se chama “hoje”. Somos imensamente gratos por Seu imenso cuidado dispensado a nós. A última reunião de oração de 2020 entre nós missionários da equipe APMT África Austral, foi agradecimentos apenas, a mais longa do ano por sinal.

Tínhamos (e temos) muito o que agradecer.

Estamos bem de saúde, nós e os nossos filhos, graças a Deus! Até mesmo a nova membro da família, Amora, nossa pequena mascote, não só está bem como feliz da vida por nossa presença quase todo o tempo em casa.

Leo concluiu seu doutorado e aguarda, com certa expectativa, uma bolsa para iniciar um pós-doutorado. No entanto, com o problema da pandemia, tudo é muito incerto.

Conseguimos fazer nossa aplicação para renovação dos vistos e seguimos aguardando o departamento de imigração (Home Affairs) emitir a decisão. Esse processo pode levar algumas semanas ainda. Louvamos a Deus por continuar no controle de todas as coisas em nossa vida. Somente a Ele, a Glória!

Ficamos apreensivos em relação aos nossos familiares no Brasil, sobretudo em relação àqueles que têm a saúde já comprometida como é o caso de minha mãe, que essa semana sofreu mais uma queda. Ao que tudo indica, não houve fraturas, mas os cortes, sangramentos e hematomas são inevitáveis. Ainda assim, agradecemos a Deus que podemos estar em constante comunicação e até mesmo promovendo encontros virtuais entre gerações.

Até o presente, não conseguimos reaver nada do que foi roubado. A essa altura e, até mesmo devido às restrições impostas pelo momento, imaginamos que as autoridades que cuidam do caso não vão fazer muita coisa. Lamento muito ter perdido TODOS os meus arquivos (estudos, mensagens, livro que havia escrito – ainda a publicar – outro material que estava organizando com o mesmo fim, traduções, cursos, milhares de fotografias, etc.) Enfim, muita coisa tanto no laptop quanto nos dois HDs externos que usava como backup.

Nos últimos meses tivemos um pouco de flexibilidade quanto às restrições impostas pelo governo para conter o avanço do vírus. No entanto, a partir da última quinzena de dezembro as autoridades sanitárias retomam uma série de restrições devido ao rápido aumento no número de infecções e o crescimento no número de óbitos.

Mais recentemente as fronteiras terrestres, foram fechadas, o que aumenta consideravelmente a pressão sobre os países vizinhos que dependem em muito da África do Sul. Voltamos ao lockdown e ao toque de recolher das 21:00 às 05:00, impostos pelo governo em todas as regiões do país.

Até o presente, apenas uma família de nossa equipe (os Bantim) sofreu com o vírus da Covid-19, mas já está praticamente recuperada, graças a Deus. Sentimos muito a morte do Sr. Cláudio, pai do nosso colega Rev. Henrique Machado, ao passo em que oramos para que o Espírito Santo de Deus traga consolo e alívio.

Lamentavelmente outro colega (Rev. Romário Bandia) sofreu um grave acidente de carro. No entanto, sofreu apenas escoriações e uma dor no peito devido ao impacto. Ele estava sozinho, retornando de Luanda para Lubango (Angola) e foi surpreendido com o fim do asfalto numa curva. Perdeu o controle do veículo e caiu em seguida num rio a alguns metros de altura. Perdeu o carro, mas salvou a vida! Louvado seja o nome do Senhor!

Mais uma vez, muito obrigado por participar do nosso trabalho por meio de suas orações.

Motivos para gratidão e louvor:

Pela nossa saúde.

Pelo término das aulas e pelo bom aproveitamento dos alunos, apesar do ano muito difícil.

Pelo livramento do Rev. Romário, no acidente.

Pela recuperação da família Bantim.

Pela conclusão do doutorado do Leo.

Pela mudança de casa do Leo e Philipe em Cape Town.

Pela aplicação para renovação dos nossos vistos.

Pela saúde dos nossos familiares no Brasil.

Motivos para intercessão e súplica:

Por consolo para a família Machado.

Pelo resultado do pedido de vistos.

Pelo tratamento do Guilherme.

Pelo restabelecimento de minha mãe.

Pelo novo ano letivo no Mukhanyo.

Por uma bolsa de estudos para o Pós-Doc do Leo.

Pela Grace Reformed Church conseguir continuar seus trabalhos em meio à pandemia.

Pela recuperação dos meus arquivos roubados.

Pelo visto de trabalho para o casal Mauricio e Ana Cristina Martinez iniciarem suas atividades no

Zimbábue.

Para que haja condições de retornarmos ao Brasil em 2021.

Queremos também compartilhar com os irmãos o que nos aconteceu recentemente. Iolanda sofreu uma pequena queda há cerca de um mês atrás. Apenas arranhou um pouco o joelho esquerdo, nada mais. Nem mesmo ficou sentindo dores. Uma semana depois o joelho direito (que não havia sofrido nada) começou a inchar e a apresentar muita dor. Fomos ao médico, e foi logo encaminhada a um especialista. Exames e Raios-X revelaram a necessidade de uma artroscopia.
Nesse momento estamos aguardando para ver se o plano de saúde cobre as despesas da cirurgia que está agendada para dia 10/02, semana que vem. No entanto, o procedimento somente será feito naquela data se o plano cobrir as despesas hospitalares.Caso não, teremos que ter tempo para levantarmos recursos extras.
Agradecemos suas orações nesse sentido, também.

Sintam-se calorosamente abraçados por nós,

Gessé e Iolanda Rios

Para contribuir com o nosso trabalho:

APMT – usar o código de identificação de 0,14 centavos (ex.: R$ 100,14): Banco do Brasil – Agência: 5853-X (Cambuci) – C/C: 7500-0;
Banco Bradesco – Agência: 119-8 (Cambuci) – C/C: 107965-4; Transferência online – CNJP: 04.138.895/0001-86;

Boleto bancário – (011) 3341-8339, [email protected]

Conta pessoal:
Banco do Brasil – Agência 8413-1; C/C ou Poupança (variação 51): 14116-X ou
Bradesco – Agência 0250-0; C/C ou Poupança: 0052042-0

 

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos