Skip to content

Rev. Gessé e Iolanda Rios

África do Sul, abril de 2021

 

“Meus irmãos, somente poucos de vocês deveriam se tornar mestres na Igreja, pois vocês sabem que nós, os que ensinamos, seremos julgados com mais rigor do que os outros” (Tiago 3:1 – NTLH)

 

Nossa família está bem, graças a Deus! Até o momento estamos todos seguros contra o vírus Covid-19. Cremos que a vacina ainda vai demorar um tempo para acontecer por aqui. Até o momento o país vacinou 0,5% de sua população, sendo que apenas ¼ dos profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate ao vírus estão imunizados.

Com o joelho ainda um pouco inchado, Iolanda está mais recuperada da cirurgia. As dores diminuíram consideravelmente, já consegue se mover bem e executa praticamente todas as tarefas de casa. Eu tive um mal-estar esses dias, mas graças a Deus não foi necessário internação. Depois de uma semana tratando em casa, já estava bem. Imaginei ter sido queda nos níveis de potássio, mas o teste indicou estar normal (para os meus padrões).

A saúde do Gui continua estável e segue o tratamento medicamentoso, mas ainda sofrendo bastante. Philipe está bem e continua trabalhando em modo “home office”, mas gosta do que faz. Leo já obteve resposta sobre renovação do visto que, graças a Deus, foi positivo. Após ter sido aceito para uma bolsa de pós-doutorado segue seus estudos imerso nas novas responsabilidades. Recentemente um incêndio de grandes proporções atingiu alguns prédios da Universidade, obrigando-o a ficar em casa por alguns dias para trabalhos à distância.

Agradecemos a Deus, também, porque todos os nossos familiares no Brasil continuam desfrutando de boa saúde, o que nos deixa mais tranquilos, uma vez que não podemos deixar a África do Sul para estar com eles. Nosso plano era retornarmos ao Brasil em abril, mas sem os vistos em nossos passaportes e com os voos suspensos, não sabemos quando isso será possível.

Na igreja, estamos enxergando os obstáculos impostos pela pandemia como oportunidade para evangelismo. Iniciamos uma ação que visa amenizar um pouco o sofrimento de muita gente pelas ruas, sem emprego, sem alimento… A iniciativa consiste em oferecermos um pacote contendo um suco natural, uma bolacha e uma barrinha de chocolate, além de uma mensagem de esperança na forma de um folheto evangelístico.

Toda nossa equipe na África Austral goza de boa saúde! No início do ano ficamos um tanto preocupados com o Rev. Henrique, cujo pai faleceu de Covid no Brasil, e com Giselle (sua esposa) no meio de uma gravidez. Graças a Deus conseguiram reunir os meios e foram para o Brasil para estar com a família e para a chegada do bebê. Graças a Deus a Giselle já está nas últimas semanas de gestação, e o bebê segue saudável, sendo a previsão de retorno da família ao campo lá para o mês de agosto em diante.

Rev. Romário e Julia Bandia estão em fase final de contrato com a APMT, e se preparam para deixar Lubango (Angola) nas próximas semanas. Foram vários anos de excelentes serviços junto ao ISTEL e à Igreja Presbiteriana de Angola. Júlia, sendo enfermeira pós-graduada, dedicou vários anos no treinamento de novos profissionais de saúde na região, além de trabalhar incansavelmente como voluntária em um hospital pediátrico da cidade. Farão falta no nosso “time” na região Austral!

Em virtude de mudanças na execução do projeto original, que consistia em incursões evangelísticas no Centro-Norte de Moçambique, Rev. Vinícius e Elizabete Bantim estão em fase de remanejamento de campo. Estarão disponíveis para o trabalho naquela região de Moçambique, quando a violência promovida por grupos terroristas ligados ao “Estado Islâmico” estiver sob controle. Enquanto isso, estarão envolvidos no processo de plantação de uma igreja entre estudantes da Universidade de Mpumalanga, África do Sul.

Eliane Machado precisou retornar ao Brasil antes do início da pandemia, mas sendo sua igreja fortemente afetada pelo vírus (Igreja Presbiteriana de Manaus), houve a necessidade de sua permanência no Brasil além do planejado. Neste momento se dedica a um programa de mestrado e à aquisição da língua francesa, com o objetivo de retornar a Angola para treinar obreiros na região norte do país.

Nosso querido colega Luciano, missionário da APMT há mais tempo em Moçambique, continua sendo referência de vida e conduta cristã para os locais. Sua participação na vida da igreja naquele país tem sido por demais valiosa, tanto à frente da Escola Teológica do Khovo, quanto do Seminário Unido de Rikatla, bem como na Igreja Presbiteriana de Moçambique como um todo. Ele tem sido um instrumento de Deus também na Casa Koinonia – casa de hospedagem missionária em Maputo.

Mônica Alves segue esperando completar sustento para deixar o Brasil rumo ao trabalhar em Moçambique. Estamos na expectativa sobre sua participação na obra do Senhor naquele país. Temos orado para que ela não perca a esperança e siga motivada até o momento de Deus.

Ana e Maurício Martinez estão definitivamente no Zimbábue, dedicando tempo na aquisição da língua Ndebele. Louvamos ao Senhor porque os anos de espera chegaram ao fim, e agora eles podem se dedicar aos propósitos de Deus para os seus corações. Podemos dizer que a APMT está oficialmente iniciando seus trabalhos neste país.

Agradecemos a você por tornar possível o nosso trabalho, ao passo em que lhe convidamos a orar pelos seguintes motivos:

Gratidão e louvor: 

  1. Pela saúde de nossa família;
  2. Pelos meios que nos permitem o trabalho remoto
  3. Pela recuperação da Iolanda;
  4. Pela obtenção do Visto do Leo;
  5. Pela saúde da nossa equipe de trabalho;
  6. Pelo envio do nosso primeiro casal para auxiliar na plantação de igreja no Zimbábue;
  7. Pelo visto de trabalho para os nossos irmãos Ana Cristina e Maurício Martinez no Zimbábue;
  8. Pela construção das salas de aula para a Escola Teológica do Khovo e pelo excelente trabalho desenvolvido ali pelo irmão Luciano Azevedo;
  9. Pela boa saúde dos nossos familiares no Brasil.

Intercessão e súplica: 

  1. Por agilidade no processo de vacinação dos 99,5% restante da população da África do Sul;
  2. Saúde do Guilherme;
  3. Sustento financeiro para a nossa colega Mônica Alves poder se juntar a nós no trabalho em Moçambique;
  4. Pelos conflitos no norte de Moçambique motivados pelo grupo terrorista do “Estado Islâmico”;
  5. Pela instalação e adaptação da família Bantim em White River, Mpumalanga;
  6. Pelo retorno da família Bandia ao Brasil;
  7. Pelo retorno da irmã Eliane Machado a Angola;
  8. Pelo parto da Giselle Machado e pela preparação da família (Rev. Henrique Machado) para o retorno a Moçambique;
  9. Por condições apropriadas para nosso retorno ao Brasil.

Receba o nosso abraço,

Gessé e Iolanda Rios

 

Para contribuir com o nosso trabalho:

APMT – usar o código de identificação de 0,14 centavos (ex.: R$ 100,14):

Banco do Brasil – Agência: 5853-X (Cambuci) – C/C: 7500-0;

Banco Bradesco – Agência: 119-8 (Cambuci) – C/C: 107965-4;

Transferência online – CNJP: 04.138.895/0001-86;

Conta pessoal:

Banco do Brasil – Agência 8413-1; C/C ou Poupança

(variação 51): 14116-X ou

Bradesco – Agência 0250-0; C/C ou Poupança: 0052042-0

Boleto bancário – (011) 3341-8339, [email protected]

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos