Skip to content

Rev. Fernando e Carol Frincu

Bucareste, novembro de 2022

Olá! Como você está? Esperamos que bem, descansados em Deus e confiantes no triunfo da Igreja de Cristo, independente de qualquer resultado das eleições no Brasil. Reina o Senhor!

Aqui, do outro lado do oceano, estamos bem. Queremos relatar alguns dos acontecimentos nesse primeiro mês de mudança, desde nossa saída de SP.

Todo o processo até pisarmos na Romênia, passando por 18 dias de estadia em SP, foi bastante cansativo e envolveu crises alérgicas da Carol e muito choro das crianças, que sofreram bastante a separação de sua terra natal, na Paraíba, e o afastamento de pessoas que são a família delas desde o ventre. Algumas igrejas em São Paulo foram visitadas e em algumas tive a oportunidade de compartilhar sobre nosso projeto.

O transporte e embarque de todos foi uma grande novela mexicana! 21 malas. Apenas. Chegamos em Bucareste, sendo recebidos por meu pai e alguns amigos, que nos conduziram ao Ploiestiore, uma pequena cidade, cerca de 1h30 do aeroporto. Lá permanecemos pouco mais de uma semana numa casa que nos foi cedida por amigos de longa data, até que encontrássemos uma moradia definitiva na capital. Ainda em meio a muito choro e cansaço, Carol foi tentando ajustar o horário da família para acomodar as seis horas de diferença o quanto antes. A casa era bastante quente, tinha um parque lindo na mesma rua, no qual as crianças puderam brincar quase todas as tardes e muitos amigos apareceram para oferecer ajuda, potes de geléia e bons momentos de conversa.

Essa viagem traz consigo uma palavra: obediência. Todos nós, em perspectivas diferentes e dentro de nossas individualidades, entendemos e seguimos rumo a esse país como um ato de obediência ao nosso Deus. Não foram flores, não foi vislumbre de uma vida melhor, não foi paixão. Foi apenas e a alto preço, obediência.

Na segunda semana encontramos uma casa confortável e bem localizada no Bucareste. A distribuição da cidade é feita de maneira um pouco diferente do que estamos habituados no Brasil mas, para boa compreensão, quero dizer que em cerca de 15 minutos de carro chegamos ao centro. Queríamos uma casa com alguma área externa, o que conseguimos. Nossos filhos são ensinados em casa e ter espaço faz muita diferença.

Para nós foi uma grande mudança na forma de viver! O clima frio (média de 17ºC durante o dia e 4º noite e manhã) tem sido bem aceito por todos e ter mudado antes do inverno foi o mais sábio, o que permite que não sejamos pegos de surpresa pela temperatura e também que organizemos as coisas necessárias antes da neve.

Embora nossa saúde, de maneira geral, esteja boa, tivemos um grande susto com Daniel. No dia em que nos mudamos para nossa casa definitiva, ele adormeceu no meio da tarde, enquanto descarregávamos as malas e só acordou no dia seguinte. Em seguida começou com episódios de mal estar e dor que culminaram em febre de mais de 40ºC por três dias. Houve uma pausa e a febre retornou com a mesma força e o menino seguia dias sem comer e com muita dor muscular. Não havia nada clínico que justificasse, então fomos ao hospital. O local que nos indicaram, particular, estava sem pediatra. Um rapaz que preenchia sua ficha sugeriu um hospital público em que teríamos pronto atendimento. Que surpresa grata! Perto de nossa casa, fomos bem recebidos e a médica foi muito atenciosa. Ela desconfiou de Strepto A e um exame confirmou. Ele foi devidamente tratado e está bem, graças a Deus.

Igrejas na Romênia

Durante esse primeiro mês também fiz algumas atividades relacionadas ao projeto.

Preguei em cinco igrejas, como sabem, nenhuma presbiteriana. Encontrei com representantes do Sínodo Reformado do Leste Europeu, iniciando comunicação direta para a parceria entre APMT e o mesmo. Tive ainda um outro encontro com um pequeno grupo que tem buscado a doutrina reformada e quer meu auxílio e, por fim, participei de um projeto missionário com pessoas da área da saúde, durante dois dias, em Mangalia, onde já há missionários da APMT, para contribuir na tradução de português para romeno. Depois, acompanhei o reverendo e dr Guttierrez e sua esposa Vera, durante cinco dias no Giurgiu, outro lado do país, trabalhando como intérprete tanto durante os atendimentos, quanto nas pregações. Levi foi meu companheiro nesse período de tradução, o que foi muito bom para ele.

Em todas as coisas temos visto a boa mão do Senhor sobre nós e isso nos encoraja em nosso amor e serviço a Ele. Nós precisávamos da Romênia. E Deus sempre soube, apenas estava dirigindo o curso de nossa vida para o momento apropriado e ele chegou. Agradecemos a todos pelo apoio em orações e financeiramente.

Temos três pedidos de oração:

  1. Que o Senhor dê graça aos nossos filhos para que aprendam a língua com rapidez;
  2. pela direção objetiva sobre as pessoas com as quais devemos trabalhar e para que abra os romenos para o Evangelho
  3. e, por fim, para que Deus nos ajude para comprarmos um carro de sete lugares o quanto antes, para podermos nos locomover como família.

Se desejar ser nosso parceiro nessa caminhada missionária na Romênia, por favor, entre em contato conosco.

Grande abraço a todos! Aguardamos notícias!

No amor de Cristo,

Família Frîncu

—–

Se desejar ser um parceiro no nosso ministério, entre em contato conosco:

E-mail: [email protected]

WhatsApp: +55 (83) 8834-6734

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos