Skip to content

OF (Oriente Médio) – 03/02/2013

 

 

UMA MOEDA DE POUCO VALOR…

Conta-se que certa vez um menino ouvira uma mensagem sobre a obra missi*onária. Procurou, então, a esposa do pastor e entregou-lhe uma moeda de pouco valor. Aquela senhora estava fazendo um embrulho com roupas, remédios e alimentos para enviar ao campo missi*onário. Ela, então, comprou um folheto com aquela pequena moeda e colocou-o dentro do pacote. O folheto caiu nas mãos de um dos chefes da Birmânia, que por meio de sua leitura converteu-se ao Ev@ngelho. Mais tarde esse chefe, depois de haver experimentado as alegrias da salvação, falou da sua regeneração a seus amigos. Ao ouvirem seu testemunho, muitos deles também se converteram. Depois, foi organizada uma igr*eja que por sua vez, solicitou um missi*onário. Como fruto desse trabalho, quinze mil pessoas, direta ou indiretamente, foram atingidas pelo Ev@ngelho. E tudo isso devido a uma pequena moeda dada com o coração.

ELE PRECISA DE NOSSAS ORAÇÕES…

Um dos nossos convertidos aqui está sofrendo fortes ameças do pai, depois de sua convers@o. Ele está vivendo escondido no momento e quer muito fugir para o Brasil. Por ter apenas 27 anos e sem parentes no Brasil, a embaixada brasileira só concede visto de turista. Ele está tão desesperado e quer ir para o Brasil assim mesmo e ficar ilegal quando o visto de turista dele vencer. Estamos tentando acamá-lo e enviá-lo para um país vizinho. O pai está fazendo fortes ameaças e já tivemos que mudá-lo de local por 3 vezes em apenas 15 dias. Precisamos muito de suas intercessões em favor dele e em nosso favor. Precisamos de muita sabedoria para dizer qualquer coisa, pois esse rapaz obedece fielmente todas as nossas orientações. Cremos que enviá-lo ao Brasil não é a melhor opção, mas precisamos de direção divina para orientá-lo. Or*e por ele (vamos chamá-lo de João).

DEUS TRABALHA EM NOSSO FAVOR…

Começamos o ano com muitos desafios. Coração angustiado e preocupante, mas confiantes na ação do Pai. O mês de janeiro encerrou e conseguimos amenizar em 20% do déficit da Casa de Oraç@o, bem como manter as despesas de janeiro em dia. Conseguimos 800 reais para ajudar na compra do carro do pastor Augustine (paquistanês) e já conseguimos recursos para 138 Bí*blias em MP3. Os desafios ainda são grandes a nossa frente, mas podemos ver que o nosso Deus é muito maior que nossos desafios e Ele trabalha em nosso favor. Obrigado por todos aqueles que estão abraçando esses desafios conosco. Vamos ver muitos milagres nesse ano, para a glória do Pai.

RECADO AOS PASTORES & LÍDERES…

O Projeto Abraão visa levantar intercessores em favor da Coreia do Norte, país com maior perseguição religiosa do mundo (www.projetoabraao.blogspot.com). Estamos enviando uma carta em anexo a esse email e gostaríamos de solicitar a todos os pastores e líderes que imprimissem essa carta em número suficiente aos membros de sua comunidade. Que fosse feita uma distribuição em um dos cultos, desafiando os irmãos a preencherem o cadastro no rodapé da carta, destacassem o mesmo e entregasse ao pastor/líder. O pastor/líder faria o cadastro de todos aqueles que preencherem, no site do nosso projeto. Só com o apoio da liderança das igrejas conseguiremos alcançar o nosso alvo de levantar 100 mil intercessores brasileiros em favor da Coreia. Lembrando que 100 mil cristãos representam apenas 0,25% dos cristãos brasileiros. Espero poder contar com o apoio da liderança evangélica brasileira.

 

CRISE NO PASTORADO…

O número de pastores que tem deixado de exercer o ministério pastoral cresce a cada dia. Pesquisa do Instituto Francis Schaeffer mostra que só nos Estados Unidos o número de obreiros que deixam seu ministério é de uma média de 1.500 por mês. O número também é alto quando se observa o número de pastores em licença pastoral, o que é o primeiro passo que para deixar o ministério em definitivo. Os motivos apresentados por esses obreiros são os mais diversos, como: problemas economicos, saúde, esgotamento moral, espiritual e até mesmo desanvenças com membros da igreja. A pesquisa é extensa e ainda apresenta os seguintes dados: 70% dos pastores sofrem de depressão e estresse; 80% não se sentem preparados para o ministério; 70% admitiram ler a Bíblia apenas para preparar sermões, entre outros dados de casos de disciplina. Mais da metade dos entrevistados adimitiram que gostariam de ter um trabalho secular, se tivessem oportunidade. Peter Drucker que é considerado um “guru de liderança” afirmou que entre as 4 coisas mais difíceis do mundo, uma delas é ser pastor. Muitos pastores no decorrer dos anos assumem que pensavam que o ministério é completamente diferente do que eles pensavam que seria. Não são poucos que enfrentam problemas com a liderança da igreja. Embora essa pesquisa foram feitas nos Estados Unidos, creio que a situação em outros lugares não é muito diferente. Os pesquisadores Marcus Tanner, Anisa Zvonkovic e Jeffrey Wherry, publicaram matéria recente na revista Religião e Saúde, que revelou uma pesquisa mostrando que os problemas de relacionamento são a principal razão para a demissão dos ministros. Sem dúvida, a crise está entre os relacionamentos. Relacionamento entre pastor e família, pastor e liderança, pastor e igreja. O que fazer? Voltar aos princípios. “Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros (João 13:35). Oremos pelos nossos pastores.

OF

“Coragem para ser diferente, Compromisso para fazer diferença”

Orie*nte Médio – Golfo Pérsico

fourferreira@generalmail.net

fourferreira@apmt.org.br

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos