Skip to content

Miss. Isaac Souza e Shirley

Brasil, 10 de outubro de 2019

“E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram”. Apoc 21.4

Graça e paz queridos irmãos,
Em nossa carta do mês de março, pedimos oração pela senhora mais idosa da aldeia. Infelizmente, ela sofreu um AVC em agosto e não resistiu, vindo à óbito no dia 20 de setembro. Sempre falei a ela sobre o evangelho de Jesus Cristo, Deus e sua bondade. Não há como saber até que ponto ela entendeu. Senti muito sua partida, pela amizade que tínhamos. Na   cosmovisão Ugoro’gmo (Arara), todos os defuntos são poderosos predadores. Por isso, após sua partida, falei na escola dominical o que a Palavra diz sobre a morte, os mortos e a vinda de Cristo. Naquele domingo à tarde, fomos à aldeia Arumbi para pregarmos a Palavra de Deus e falei sobre o mesmo assunto.

À noite, de volta à aldeia Laranjal, o Pr. Tagatji pediu-me para falar sobre o mesmo tema. Tarde daquela noite, caiu um temporal, acompanhado de uma ventania, que derrubou três árvores, destelhou várias construções, derrubou muitas bananeiras etc. Na segunda-feira, o assunto recorrente era que a senhora falecida, paralisada de um lado todo, cuja fala não era audível e que não conseguia se levantar da rede é que tinha causado todo o dano. Até alguns que pareciam já ter entendido o evangelho estavam falando a mesma coisa. Então, fiz questão de ir a vários domicílios estratégicos, onde há idosos, explicando novamente a Palavra de Deus. Em uma das casas, o senhor é surdo, mas falou que estava ouvindo gritos da senhora em vários lugares. Sugeri a ele que, na próxima vez que isso acontecesse, ele pedisse a Deus para ajudá- lo, pois outro espírito podia estar usando a morte da senhora para amedrontá-lo. Ele disse: “Agora estou sabendo.” Oremos para que ele ponha em prática sua compreensão sobre esse assunto. O pavor que o povo sente dos mortos é tanto que não aceitam que alguém que faleceu em outro lugar tenha o corpo conduzido para ser sepultado na aldeia por isso minha amiga foi enterrada em Altamira, onde faleceu.

Visita à Aldeia Arumbi: Em nossa última viagem ao campo, fomos fazer uma visita à aldeia Arumbi para anunciarmos o evangelho, a pedido do fundador daquela aldeia. Mas, o pessoal do Arumbi continua querendo um missionário ou um casal de missionários para morar lá com eles. Por favor irmãos, continuem rogando a Deus para que Ele atenda os anseios e os constantes pedidos desse segmento Ugoro’gmo. As nossas atividades na aldeia Laranjal consomem quase todo nosso tempo e nossas forças, restando pouco para atender às outras aldeias.

Apelo de Mãe: Uma jovem senhora me chamou e pediu para o Isaac aconselhar seu filho de 16 anos que estava muito rebelde. Também pediu que o Isaac desse aulas a ele. Os assuntos escolhidos pelo rapaz foram língua portuguesa e matemática. Todos os dias úteis, o Isaac ministrou aulas a ele. O livro de português era baseado no tema Identidade e iniciava com a canção Caçador de Mim, interpretada por Milton Nascimento. Não havia melhor tema do que este para servir como base para os conselhos que o Isaac prestou. Na noite antes de sairmos da aldeia, a mãe do rapaz afirmou que ele estava se comportando bem melhor. O Isaac está com o desafio de prepara-lo para ser o professor de Educação Física da aldeia. O Isaac vai doar seus halteres de musculação a ele. Mas para isso, o rapaz está proibido de fazer arruaças e brigar, a fim de ter nova identidade, como preconiza o livro de língua portuguesa. Capacitação da Liderança da Igreja: Demos continuidade à capacitação da liderança da igreja (agora formada por 5 homens: 2 formados no Instituto Bíblico, 1 estudante e 2 presbíteros, junto com suas respectivas esposas).

Dia-a-dia na aldeia: Isaac e eu demos aulas pela manhã e parte da tarde, dirigimos as músicas na igreja, além das aulas para a liderança, pregação na igreja e visitas para leitura do evangelho. Isaac também capinou no entorno da igreja e a varreu quase todos os dias. Pedidos de Oração:

  •   Pelos anciãos da aldeia, quando ouvirem o evangelho possam entender claramente: sra Peo, idade estimada: 92 anos; sr Wapyry, i.e. 87 anos; sr Toytji, i.e. 83 anos; sr Mortidi, i.e. 82 anos; sr Porakeni, i.e. 82 anos; sr Tjimi, i.e. 82 anos; sr Tingeni, i.e. 77 anos; sra Tjipi, i.e. 77 anos; sra Tagi, i.e. 72 anos; sra Kurekure, i.e. 72 anos; sr Mumoden, i.e. 71 anos; sr Mute, i.e. 69 anos; sra Tjatemi, i.e. 62 anos; sr. Murtarta, i.e. 57 anos; sra Pedepa, i.e. 57 anos;
  •   Para que alguém se interesse em dirigir a música na igreja Ugoro’gmo;
  •   Por missionário(s) para a aldeia Ugoro’gmo Arumbi;
  •   Pelos três casais que já estudaram em instituto bíblico e no momento estão longe de 
Deus e da igreja;
  •   Pela saúde física, emocional e espiritual de nossa família;
  •   Por uma moradia para nossa família em Brasília;
  •   Pela equipe missionária: Isaac e Shirley e filhas; Alessandro e Joice e filhas;
  •   Pela equipe da liderança autóctone e seus familiares: Pr. Tagatji; Mo-Mo, que se formou 
em junho de 2019; Tymbyape, que está estudando no instituto bíblico; Mouko e Typtjigoriwy. 
Muito obrigada por suas orações e parceria ministerial, 
Shirley, por Isaac também

Contatos:E-mail: Isaac Souza: costasouzaisaac@gmail.com (o outro email será desativado em breve) E-mail: Shirley Souza: tjileicsouza@gmail.com e celular/WhatsApp 61-9-8170-8730 (Tim)

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos