fbpx Skip to content

Mis. Ageirson Corjesus de Ramos (Indígenas) 13/06/17

UM NOVO TEMPO, EM TEMPO DE NOVOS DESAFIOS

“Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém." Romanos 11:36

Amada igreja,

Vocês que tem me acompanhado na trajetória missionária, comprometendo com este ministério, venho dar-lhes boas novas.

É de conhecimento desta prezada igreja que eu havia iniciado o processo de candidatura como missionário da APMT (Agência Presbiteriana de Missões Transculturais).

Os irmãos estiveram orando por mim e acompanhando-me neste processo. No dia 07 de Junho tive a imensa alegria de ser recebido pela diretoria da APMT como missionário da agência. Estou muito feliz por findar um processo começado no ano de 2013 e agora, após cumprir todos os requisitos, podemos nos regozijar e assumir o  compromisso de ser missionário por essa importante agência missionária de nossa denominação.

Feliz também por decidir marcar meu casamento com Loenes para o dia 22 de julho deste ano. Para o qual venho convidar esta amada igreja para se alegrar comigo neste dia. O casamento será realizado na 2a IPB de Caratinga às 19.00.

Já estamos no campo na Missão Caiuá já há três anos, sempre dedicados, para que o povo Caiuá ouvisse a Palavra, tanto nos cultos e aconselhamentos, como também  nas visitas a leito, nos domicílios e no dia a dia.  Mas é necessário estarmos sempre com os olhos abertos para o que o Senhor  pode nos mostrar.

Fiz uma viagem ao Paraná para conhecer o povo Guarani Ñandeva, que está nas cidades de Guaíra e Terra Roxa. Deparei-me com um povo extremamente pobre e

desejoso de resgatar sua dignidade. Comecei a pensar e orar ao Senhor por sabedoria nas minhas decisões sobre os  meus próximos passos em relação a esse povo que está dividido em 13 aldeias nas duas  cidades.

E um grande desafio me foi colocado: Esse foi o "PASSA À MACEDÔNIA E AJUDA-NOS” clamor dos indígenas, Sr. Otávio, Ignácio e Natalio e o de todas as

aldeias Guarani, quando visitamos na região de Guaíra e Terra Roxa. Sempre começando com essa palavra: “ajude-nos” – nhande pytyrõ mina.

Um povo marcado pela dor do abandono e da discriminação que vai desde a indiferença até o descaso proposital com suas vidas. Corações tristes feridos e revoltados sem uma esperança. Em uma das aldeias, um Sr. me disse: “eu falei com Deus que Ele trouxesse pessoas que nos ajudassem, pois não preciso nem falar que precisamos de  ajuda. A vinda de vocês aqui hoje é o Senhor respondendo minha oração.”

Existem entre os indígenas algumas igrejas evangélicas sendo a maioria da denominação Deus é Amor e, infelizmente, não é boa referência entre aquele povo. Os mais novos tem esquecido sua cultura, diminuindo ainda mais pessoas que continuem seus costumes, o que os deixam ainda mais entristecidos.

Amados irmãos, junto com a Diretoria da APMT decidimos então abraçar este desafio e agora representando esta amada igreja e a APMT, a partir de outubro,  começaremos aos primeiros passos para chegar naquele campo. Primeiro é necessário procurar uma casa para alugar, pois não moro na aldeia e então o PROJETO JAVY'A  PORÃ tomará uma nova roupagem.

 Espero continuar contando com o apoio desta igreja neste novo tempo.

Que a graça e a paz de nosso Senhor Jesus esteja com todos.

Mui atenciosamente,

 

Mis. Ageirson Corjesus de Ramos

 

Compartilhe esta postagem

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on email
Share on print

Últimas postagens

Arquivo

Arquivos

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativo