Skip to content

Mis. Aefe e Sara (Tribus indígenas) – 18/09/2011

Subindo o rio: visita a aldeia

 

No final do mês passado, subimos o Rio Negro com oCácio, para conhecer o seu trabalho e aprender um pouco do contexto de aldeia. Visitamos três aldeias.

 

Conhecemos as escolas, as cartilhas e os professores frutos do trabalho do casal Cácio e Elisângela, além de vermos uma última coleta de dados para fechar o primeiro dicionário da língua, que eles estão publicando. Passamos um tempo muito proveitoso com o povo, pudemos conversar com eles, contar nossas histórias, ouvir suas histórias em rodas à noite e conhecer a rotina.

 

Além de um rápido distúrbio intestinal que tive, Sara e eu passamos um tempo muito bom, e pudemos confirmar nosso chamado. Na aldeia e conhecendo o trabalho do casal, chegamos mais próximos de entender para qual trabalho Deus tem nos chamado. Voltamos glorificando a Deus pela honra da vocação que Ele nos deu!

 

Descendo o rio: em Santa Isabel do Rio Negro

 

No início deste mês, descemos o rio para conhecer a pequena e bonita cidade de Santa Isabel do Rio Negro, e conhecer alguns ministérios de lá. Ficamos na casa do casal Gabriel e Crislaine, onde pudemos conhecer o belíssimo trabalho que desenvolvem, juntamente com a Carol. Desenvolvem um trabalho junto às aldeias da região para treinamento e valorização do artesanato deles. Educam em matemática, fazem seleção de qualidade e buscam clientes para eles. É um trabalho chamado de Comércio Justo: referência na região, pois não gera assistencialismo. Pelo contrário, leva dinheiro a aldeia pelo próprio trabalho dos indígenas.

 

Ainda em SIRN, conhecemos e tivemos o privilégio de pregar na Igreja Indígena de lá. Uma igreja peculiar, pois ainda está sem portas e janelas: achei muito significativo. Conhecemos o excelente trabalho do casal Jaimeson e Cleide, e Rose, junto da igreja, que é, por sinal, uma igreja vibrante!

 

Conferência evangélica indígena

 

Por influência do trabalho de Sophia Miller, na década de 40, na região é muito comum as igrejas indígenas se reunirem em Conferências, sempre em aldeias

diferentes. Estas conferências servem para as igrejas encorajarem-se umas as outras e para comunhão. Bonito de ver: diferentes etnias e denominações das mais diversas dividindo o microfone, o refeitório e testemunhos após o culto. Na conferência que fomos, estavam quase 300 indígenas evangélicos! Tive a honra de pregar, com o temor do Senhor, e Sara ajudou com as crianças, que eram mais de 50! Também tive a honra de conhecer o pastor Bruno, que estava organizando a conferência. Ele foi piloto da Sophia Miller, e foi preso com ela. Ouvimos por horas seu testemunho emocionado, de cárcere, de privação de alimento, de ter perdido seu pai, tudo em nome do Evangelho. Que constrangimento para mim!

Que vidas preciosas para Deus!

 

Outras atividades

 

– De volta a São Gabriel, fizemos e planejamos fazer outras viagens a aldeias vizinhas, algumas cristãs mas sem pastores, outras sem presença evangélica.

 

– Neste fim de setembro até novembro, iremos ficar mais próximos dos jovens da Igreja Evangélica Indígena do Areal, lecionando na EBD, nas programações aos

sábados e visitas.

 

– Após um mês fora, pretendemos retomar nosso discipulado com Márcia e Alberti. No último encontro que tivemos, eles disseram que finalmente fizeram a sonografia do bebê, que será uma menina e nascerá em dezembro. Ela reconhece que foi Deus quem fez a criança estar viva. Amém.

 

– Na última semana de setembro, ficaremos de segunda a sexta entre os Dâw, uma aldeia evangélica bem em frente da cidade, e lá daremos estudos bíblicos aos jovens, todos os dias.

 

Agradecemos todo o apoio e oração de vocês!

Que o Senhor Jesus seja honrado em todo o nosso trabalho.

 

Ore por:

 

– Pela continuidade do trabalho de educação de Cácio e Elisângela e pela publicação do dicionário;

 

– Pelo trabalho de Gabriel e Cris e Carol, em SIRN;

 

– Pela Igreja Indígena de SIRN, pelo Jaimeson e Cleidinha e pela Rose;

 

– Pelo nosso tempo entre os jovens Dâw;

 

– Pelos jovens e pela liderança da Igreja Evangélica Indígena do Areal;

 

– Pelas viagens na “vizinhança” que faremos, que o Senhor possa nos conceder o poder do Seu Espírito para a pregação do Evangelho;

 

– Pelo retorno do discipulado com Márcia e Alberti e gratidão a Deus pelo bebê;

 

– Por um direcionamento ministerial claro para Sara e eu.

 

 

Aefe e Sara

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos