Skip to content

Rev. José Roberto e Ivone

Portugal, dezembro de 2021

O governo está sobre os Seus ombros.

“Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz; para que se aumente o seu governo, e venha paz sem fim sobre o trono de Davi e sobre o seu reino, para o estabelecer e o firmar mediante o juízo e a justiça, desde agora e para sempre. O zelo do Senhor dos Exércitos fará isto.” (Isaías 9.6-7)

Que alegria gozamos como filhos de Deus!

Jesus é o Filho de Deus. Sobre Seus ombros está o governo do todo este vasto universo. Ele governa-o não como uma criança, mas como um maravilhoso conselheiro e Deus forte. O natal anuncia-nos que a despeito de tudo que guerreia contra nós, por ser nosso supremo governante o príncipe da paz, podemos, hoje… e no porvir, gozar de paz em meio a tudo.

Desejamos aos queridos irmãos e irmãs, à querida igreja que gozem da mais perfeita paz que o nascido redentor oferece-nos.

Motivos de Louvor

Uma parte das nossas actividades são planeadas:

1. Eu e minha esposa Ivone temos prosseguido em nossas reflexões e devocionais. Corriqueiramente partilhamos delas um com o outro e isto faz-nos aprender, crescer e fortalece nossas convicções de fé no Senhor. E: Louvamos ao Senhor por estes momentos preciosos, dos quais esperamos gozar por todo tempo juntos.

2. Planeamos continuar a formação de oficiais na cidade de Braga. E: A formação foi iniciada e terminada neste período. Combinamos com os irmãos de Braga fazermos todos os domingos depois do almoço. Isto ocorreu num clima alegre. Durante semanas, saímos do culto da manhã em Póvoa de Varzim e, acompanhados de um casal português, viajamos para Braga. Nossas reuniões aconteciam após o almoço com término entre 18h e 19h. Foi um período intenso, muito produtivo. Lembrou-nos muito outros tempos, já que pudemos contar com participação intensa dos presentes, sedentos por conhecer o que o Senhor tem a dizer àqueles que ele chama para cuidar de Sua igreja. Nas últimas semanas já experimentávamos saudades, pensando no fim dos nossos encontros. Louvamos ao Senhor, de todo coração e com imensa alegria, por este tempo. Damos graças pelo carinho, boa disposição, interesse e amor dos meus irmãos em Braga. Louvamos ao Senhor pelo casal português que, já tendo participado da mesma formação em Póvoa de Varzim, acompanhou-nos integralmente. Ficou o pedido dos irmãos para termos outras formações. Soma-se a estas alvissareiras noticias, a chegada do Rev Wanderson e sua família, ligados à APMT, nosso colega, para o campo de Braga. Esta somatória encoraja-nos a vislumbrar a organização deste trabalho em Igreja. Queira o Senhor!

3. Visita à família nativa. E: Com o intenso trabalho de formação, ainda mantínhamos a expectativa de visitar uma família nativa, o que aconteceu por três dias com um casal com quem temos desenvolvido relacionamento. Ouvimos suas histórias de vida narradas

pelo marido, o que fez-nos perceber sua confiança para connosco; conversas foram eivadas com o sal do evangelho. Oramos com e pelo casal. Na partida, ficou o convite para voltarmos, o que pretendemos fazer e aproveitar para contactar outras pessoas no entorno da casa. Damos graças ao Senhor por mais esta oportunidade.

4. Continuidade do trabalho incipiente com famílias em Póvoa. E: Em meio a todas as limitações materiais, o trabalho tem continuado com a graça do Senhor. Neste trimestre recebemos a visita de algumas famílias vindas do Brasil, moradores da cidade de Coimbra e do Porto. Isto revela a carência do trabalho presbiteriano no país à fora. Preocupação que toma nosso coração. Sobre o trabalho em Póvoa, temos um assunto ainda não resolvido com o senhorio (proprietário) do espaço. Ele está a exigir fiadores. Até o presente momento não conseguimos. Temos orado para que o Senhor ajude-nos nisto. Enquanto pudermos, ficaremos no local. No entanto, temos alimentado a esperança de buscarmos um espaço maior.

5. Visita e apoio à família missionária, irmãos e Concelho de Montalegre. PE: Com as limitações de recursos a visita ficou inviável, mas continuamos a manter contacto com aqueles missionários. Vivem num extremo de Portugal com a Galícia (Espanha) numa aldeia na montanha. No fim de ano os montes ficam embranquecidos de neve, as famílias ficam ainda mais inacessíveis e o isolamento aumenta. Oramos para que o Senhor mantenha o bom ânimo e saúde destes queridos irmãos e para que tenhamos boa oportunidade de ir ter com eles, bem como com outros missionários noutros sítios que ficam isolados e carecem de presença e apoio.

6. Continuidade de apoio aos concelhos de Paços e Montalegre. E: Temos mantido este apoio. Regularmente temos reuniões, que ainda são virtuais devido as impostas limitações. Matemos comum esforço para o bom desenvolvimento dos trabalhos locais. Hoje, nossa maior preocupação volta-se para Paços de Ferreira, isto porque, depois de 2 anos e meio naquele campo, a família missionária decidiu regressar definitivamente para o Brasil. O que está prospectado ocorrer no mês de maio de 2022. Eu e a Ivone temos procurado encorajá-la, em meio às reais preocupações da família, mesmo compreendendo sua decisão. Não é simples a manutenção das famílias missionárias neste país. O Senhor o sabe. Diante disto, o concelho comunicou a Assembleia Geral, e ora para que a família missionária seja bem acolhida no Brasil e o campo seja suprido com outros missionários.

7. Mentoria de nativo em estudos teológicos. E: Nosso irmão Pedro, membro do incipiente trabalho em Póvoa de V arzim, continua seus estudos na Faculdade Internacional de Teologia Reformada (FITRef), que tem sido um abençoado recurso para a formação de líderes em Portugal e noutros países. Seus estudos são realizados em tempo parcial, visto que a maior parte do tempo o Pedro dedica ao seu trabalho e cuidado familiar. Tem sido um desafio grande para ele. Por hora não tem definição sobre seu futuro, mas tem procurado discernir a vontade de Deus para sua vida. Sou grato ao Senhor por levantar este nativo e por ele mostrar tanto interesse em equipar-se teologicamente para servir a este campo. É uma longa caminhada de estudos.

8. Investimento de tempo com vizinhos nativos. E: Temos investido tempo com um casal vizinho nosso, o Jorge e a Manuela. Uma amizade nasceu aqui. A bem da verdade, tem- se fortalecido. É muito bom isto!! O Jorge fez uma cirurgia importante mas tem-se recuperado bem, depois de um período mais difícil. Já voltou ao trabalho que faz numa pequena empresa de turbo-diesel. A Manuela zela com muito carinho da sua casa. Ambos

cuidam bem um do outro. Ela está com planos de estudar mais e assim conseguir meios para ajudar manter a casa. Como estávamos com planos de viajar para estar com nossa família no Brasil no fim deste ano, o casal insistiu para que não viajássemos sem antes ir ter com ele. O que de facto fizemos, pois queria saber mais dos nossos planos, como: “Quando vão?”, “Vocês vão voltar para Portugal, não é?!”. Estas e outras actitudes revelam cuidados mútuos. Louvamos ao Senhor por suas vidas, e que Ele revele-se salvadoramente a este casal que é-nos tão querido.

9. Ida ao Brasil. PE: Depois de abençoados anos de trabalho no campo, mas também de três anos separados da família, planeamos viajar para o Brasil neste fim de ano. Em 2018 estivemos na terra, num período dedicado aos parceiros: visitamos igrejas, ministrei curso na FITREf, tendo raros momentos com a família. Nestes últimos anos agradou ao Senhor recolher alguns. Estávamos no campo, sem qualquer hipótese de assistirmos nossos familiares e partilharmos nosso luto. Estas perdas, aliada ao cansaço e ao isolamento oriundo da pandemia fez aumentar o anseio de usufruir do convívio com irmãos e sobrinhos. Mercê do Senhor viemos ao Brasil, e, ao escrever este texto encontramo-nos em São Paulo, capital, para o Natal e Ano Novo em família antes de retornarmos ao campo. Agradecemos ao Senhor por esta oportunidade. Tem sido consolador e gratificante ser acolhidos pelos meus irmãos Neusa, Júlio e Walter, que demonstram seu peculiar carinho e imensas demonstrações de cuidado com este caçula e pela Ivone. Somos gratos por tantos sobrinhos aos quais tanto amamos e dos quais somos amados.

Nem tudo que fazemos foi planeado:

1. A página no Facebook tem sido tratada por irmãos nativos, e ansiamos que se mantenha assim. No entanto, durante o mês de outubro dediquei tempo para lançar alguma matéria sobre a Reforma Protestante.

2. Entre uma actividade e outra montamos um pequeno Jornal (4 folhas) para o mês da Reforma Protestante, que foi usado sobretudo interna e externamente com o grupo de irmãos em Póvoa de Varzim. Este é um viés interessante a ser desenvolvido, em tendo uma equipa mais equipada. Bem que pode dar frutos à longo prazo.

3. Problemas com o carro. O seguro da carrinha cobriu o dano com o para-brisas. Na ocasião do conserto a oficina avariou um pouco mais o banco já malhado. Esta situação deu-me ensejo para conhecer o chefe da oficina, o Rui. Ele ficou “desconsertado” com a avaria causada no banco, mas o mal tornou-se em bem, dando ensejo para visitá-lo duas outras vezes após o ocorrido… Quando eu retornar preciso também arranjar os travões (freios) da carrinha e outros pormenores. Depois de algumas décadas de estrada… embora gostemos dela, vemos que está na hora de arranjar outra.

4. Crise com o computador. Ao fazer uma cópia de segurança dos arquivos do computador, aconteceu qualquer coisa que causou a perda total dos arquivos. Isto tem- nos dado trabalho e preocupações indesejáveis. Até o presente momento não conseguimos recuperar os arquivos.

5. Estado da biblioteca. Deixamos em 2016 uma biblioteca no Brasil, fruto de mais de 20 anos de construção e organização. No entanto, boa parte foi destruída por cupins. Isto é difícil para nós, meus irmãos. Estamos sem palavras.

Intercedamos pelo campo:

– Continuemos a interceder pelas famílias da Póvoa de Varzim. Para que fiquem firmes, cresçam em confiança e amem mais e mais ao Senhor. Que continuem a ter meios de sustento e boa saúde.

– Para que o Senhor dê-nos meios para manter o local alugado na Póvoa. A situação com o senhorio (dono da loja) está a pedir fiadores, e, até o presente momento não temos solução.

– Para que o incipiente trabalho goze de boa reputação na sociedade portuguesa. – Pela vida do Pedro e por seus estudos teológicos.

– Pelo Peterson, esposa e suas três crianças mudaram-se para Paços de Ferreira e estão a participar com nossos irmãos desta cidade. Que tenham boa adaptação.

– Pela família do Pastor Wanderson, missionário APMT, que chegaram ao campo de Braga. Que em tudo o Senhor os assista e tenham boa adaptação.

– Por mim e pela Ivone. Estamos no Brasil com a família.
– Pedimos que orem por nossos sobrinhos: Pamela, Leandro e Júlio Jr.
– Pela saúde de minha irmã Neusa.
– Por nosso regresso ao campo em Janeiro, que tudo corra bem nos aeroportos.

Segue mais abaixo algumas fotos deste trimestre.

No amor do Cordeiro.
Rev. José Roberto e Ivone.

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos