A 18º SO da APMT reuniu candidatos e missionários


 

Por Emma Castro

Todo ano, no mês de fevereiro, a APMT organiza um encontro para os candidatos a missionários e os missionários que há um bom tempo estão fora do país, vivendo em outro contexto cultural e precisam se atualizar sobre mudanças, avanços e aspectos operacionais da Agência. Este ano, o encontro foi realizado nos dias 4 a 8 de fevereiro, no acampamento Lar Belém em Campinas, São Paulo.

Paralelo às palestras e oficinas com os participantes, e pensando no cuidado com o missionário de forma integral, durante todo o evento os filhos dos missionários presentes também tiveram uma programação especial voltadas para eles, preparada pelos missionários Mauricio e Ana Martinez, que irão trabalhar com crianças no Zimbabwe.

Este ano, o evento contou com a participação permanente de 38 adultos e 12 crianças, entre eles membros da assembleia, que tiveram a oportunidade de conhecer pessoalmente os candidatos. Ouve a participação de alguns durante períodos específicos. Simultaneamente, também foi realizada a reunião da diretoria, para examinar documentos, entrevistar aspirantes, candidatos e missionários.  Estiveram presentes missionários que atuam na Ásia em contexto de perseguição, da Alemanha, no trabalho com refugiados de mais de 20 nacionalidades, e da Inglaterra, com ministério em contexto muçulmano.

Candidatos que já atuam no campo sem a APMT compartilharam sua experiência e as dificuldades que enfrentaram por terem ido sem uma agência, e que agora estão vendo todo o cuidado que a APMT tem com seus missionários. “Se tivéssemos ido com a APMT, teríamos sofrido menos”, disse o Rev. Wilson Santos de Oliveira, que há cinco anos começou a plantar uma igreja em Buenos Aires, Argentina. Já, Sarah (18 anos), filha do casal, Rev. Wanderson e Fábia Santos, disse que ficou admirada com a maneira como a nossa Igreja IPB – Igreja Presbiteriana do Brasil, é organizada e o cuidado que tem com os missionários, treinando os mesmos em diversas áreas e a preocupação na hora da saída para o campo.

“Muitas vezes, o missionário se sente sozinho no campo em meio à nova cultura, outra língua e longe da família, e durante essa semana de orientação senti como se a agência fosse como um pai e uma mãe que o Senhor me deu para me abraçar enquanto eu estiver no campo”, disse a candidata Leni Folly, futura missionária no Paraguai.

A liderança da APMT tem se preocupado no preparo dos missionários enviados para atuar em outros países, ou no Brasil, em contexto transcultural, orientando-os nos mínimos detalhes, desde o cuidado no aspecto espiritual, psicológico, relacional, administrativo, organizacional e familiar.

O tema da APMT deste ano é: “Parceria, juntos na proclamação do Evangelho” e o Rev. Marcos Agripino, executivo, enfatizou: “Os projetos missionários não são projetos pessoais. Os missionários são parte da igreja, um braço da igreja num contexto transcultural. A igreja tem o privilégio de se tornar parceiro nos mais diferentes projetos, pois o missionário sozinho, não poderá ir se não for junto com a igreja local”.

Caso deseje se tornar parceiro de um missionário, entre em contato conosco apmt@apmt.org.br que estaremos felizes em compartilhar com vocês o que Deus está realizando no mundo por meio da Igreja em parceria com os missionários.

 

Comentários