Skip to content

22-08-2005


Lembro-me da visita que a fiz na vila de Makhalpu, MH. Na ocasião, antes de orar por ela, perguntei se ela tinha um pedido de oração específico para que orassemos à Deus. Ela, protamente respondeu o que de fato queria: “Eu quero ver”.



Bem, adimito que o seu pedido pareceu-me um pedido impossível e que ela estava equivocada. Na verdade, eu nunca imaginaria que ela me pedisse isso. Pois sei quem eu sou. Contudo, oramos por ela e pelo seu pedido. Tive vontade de chorar no momento, pois eu sei que somente Deus poderia fazer. De certa forma, geralmente, quando fazemos esta pergunta, temos em mente o que nós poderiamos fazer para ajudar aquela pessoa a quem perguntamos. Se isso não acontece com voce as vezes, isso aconteceu comigo naquele dia. Mommy, naquele momento a chamei de mãe, vamos orar juntos a Deus. Se Deus quizer, ele vai fazer a senhora ver novamente.



Ao sair da simples casa, fui informado pelo pastor que a levaria ao médico para alguns exames. Deixei algum recurso financeiro para os gastos nercessário. 



Na minha última visita na cidade esta semana, procurei saber como ela estava. Fui informado do sucesso da cirúgia em um olho. A alegria tomou conta da minha alma. Tive vontade de chorar, mas não provacado pela conciência da minha incapacidade, e sim, de ver a campaixão do nosso Deus em atender o clamor dos aflitos, daqueles que só têm a Ele como amparo e consolador. 



Jesus, tem compaixão de mim! Foi assim que o cego de Jericó se dirigiu a Jesus que passava no seu caminho. Ele foi curado. O resto da história voce sabe muito bem. 



Quero salientar o que chama a minha atenção em tudo isso. Primeiramente, é em relação a fé. A fé vem pelo ouvir a Palavra de Deus. Ouvindo-a, temos o entendimento de quem é Deus e de que Ele é capaz de fazer. Só assim, teremos a genuína fé em Deus. Aquela senhora não podia ver, mas podia escutar as menssagens da Palavra de Deus pela comunidade que cuida dela. Sendo assim, uma questão emerge desta verdade. Como os aflitos e nercessitados pecadores ouvirão se não enviarmos os pregadores da Palavra ao seu encontro? Essa verdade é muito clara na Palavra de Deus. Contudo, muitos ainda se recusam a ir, e muitos outros, de ajudar aqueles que querem e que já partiram ao encontro dos pecadores ao redor do mundo. Em segundo lugar, vejo a responsabilidade e previlégio de vivermos a vida de Cristo. Aquela s enhora, ao tirar as ataturas do olho, ao olhar os cristão, os chamou de “meu deus”. Indagado pelo pastor por que ela disse aquilo, ela afirmou: Voce me disse que Deus é bom, que cuida de nós e que toma conta da nossa vida, não é mesmo? O pastor respondeu: sim, eu falei isso sim. Pois bem, retrucou ela, voces fazem tudo isso pra mim, concluiu. O Deus invisível se manisfesta através de seu corpo, a Igreja. O triste desta verdade é que muitas igrejas estão deluídas e que perderam o seu ardente desejo de manisfestar o Cristo aos povos, raça e tribos.



Lembro-me de Pedro e João quando subiram ao templo para orar ( Atos : ) e na porta do templo, eles encontraram um pedinte. Eles responderam: não tenho ouro nem prata, mas o que tenho eu te dou. Levanta e anda! Admito que tive vergonha naquele momento em que aquela senhora me pediu que orasse para que ela voltasse a ver. Como já disse antes, tive vontade de chorar. Pensando em tudo isso, ví que o meu coração é que estava enganado, e não o dela. Ela estava absolutamente correta, pois oração é se dirigir a Deus e não a homem algum. Oração é entrar na intimidade de Deus. É expressar o que somente a Ele é devido. Portanto, no meio de tudo isso temos gozos e tristezas onde criam algumas vezes verdadeiros paradoxos na nossa vida. Tristeza e alegria parecem gêmeas. Tristeza, quando somos conflontados pelo Espírito da nossa incapacidade, alegria quanto percebemos este conflonto do Espírito. Louvo a Deus, que, pela fidelidade dos irmãos que sustentam este projeto, eu pelo menos tive ouro e prata para dar pra aquela senhora, pois era tudo o que eu tinha naquele momento. Na verdade, Deus está sempre interessado no que temos para dar de todo o nosso coração. A providência de Deus independe de nós, mas da sua fidelidade vinda de quem é ele. 



Nas Garras do Leão de Judá,



Adolfo Tobias de Santana

Compartilhe esta postagem

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on twitter

Últimas postagens

Você pode contribuir para o Evangelho a qualquer momento com sua oferta.
Informativos