O povo boliviano precisa das nossas orações


 

A proposta de mudanças do “Novo Código do Sistema Criminal” da Bolivia, apresentada pelo presidente do pais, Evo Morales, em dezembro de 2017, causou muitas reações de vários setores, provocando mobilizações populares.

Uma das novas propostas, afetará diretamente às igrejas. O artigo 88 no 11º parágrafo, caracteriza como crime “o recrutamento de pessoas para participação em organizações religiosas ou de culto”, o que prevê prisão de 7 a 12 anos para quem for pego praticando alguma atividade que represente uma prática religiosa.

Segundo o missionário da APMT, que atua em Puerto Suarez, o Rev. Geraldo Batista, o pais está vivendo uma situação tensa, pois não se esperava que fosse instalado um governo socialista, comunista. “Queremos pedir que orem por nós, pois o tempo de perseguição a os cristãos está chegando. Tem acontecido casos isolados, como a prisão de pastores e a proibição da entrada de Bíblias em algumas regiões do pais”, expressou o Rev. Geraldo.

O maior foco de alguns incidentes está acontecendo nas cidades maiores como La Paz, Cochabamba e Santa Cruz. Em Puerto Suares, a igreja continua se reunindo e participando de marchas, greves e manifestações para chamar a atenção das autoridades.

O “Novo Código”, deve ser aprovado em breve, mas já está causando muita situação de conflito interno.

“Ore pela Bolívia, pelas igrejas bolivianas, porque não teremos vencedores nem vencidos, todos perderemos com esta situação criada”, manifestou o Rev. Geraldo, que continua seu ministério de consolidação da Igreja em Puerto Suares e projetos com crianças carentes.

Comentários