O.F. e CL. (Oriente Médio) 18/09/2017


CRISE & MISSÕES…

A crise na economia mundial tem afetado muito os campos mission@rios nos últimos anos. Os Estados Unidos, o maior investidor de missões no mundo diminuiu drasticamente o número de mission@rios enviados, além de incentivar missionários de vários anos no campo a se aposentarem. O alvo é enxugar gastos para conseguir manter alguns projetos em andamento. A Coreia do Sul outro país que investe muito em missões, tem experimentado um esfriamento nessa área e isso já tem afetado diversos campos. No Brasil a situação não é diferente. Com uma grande crise política e econômica que se arrasta pelos últimos 5 anos, os campos mission@rios tem sido alvo de cortes. Mission@rios brasileiros lutam para se manterem em seus campos, na esperança dessa crise passar. Em nosso caso, perdemos 4 fortes parceiros mission@rios e estamos com os projetos caminhando lentamente por falta de maiores investimentos. Nos últimos 5 meses tivemos que parar nossa distribuição sistemática de Bíbli@s, por não termos recursos para continuar comprando os livros. Estamos adquirindo apenas para presentear os novos convertidos. Estamos enxugando os gastos para não precisarmos deixar o campo. Oramos e esperamos em Deus que a Igreja Brasileira se desperte nesse compromisso de pagar o preço para fazer o Nome de Jesus ser conhecido entre as nações. Esperamos ver uma nova geração de jovens vocacionados com o apoio fiel da igreja brasileira. Que os missionários de carreira possam deixar um legado de fé, sacrifício e renúncia pelo nome de Cristo. Que a palavra crise não ande ao lado da palavra missões, mas sim a palavra fé possa ser a parceira de missões. Nessa fé e esperança é que caminhamos.   

HANNAH
Recentemente conheci a Hannah (foto em anexo). Menina de apenas 10 anos, com um sorriso lindo no rosto é uma das refugiadas sírias que estamos trabalhando. A história dela é horrível. Com a expansão do Estado Isl@mico na região que ela morava com a família na Síria, eles foram forçados a deixar o país. No dia da fuga foram todos presos pelos terroristas e o pai dela foi morto em frente de toda a família. Dias depois a família conseguiu fugir novamente, sendo Hannah, sua mãe que estava grávida, duas irmãs, dois irmãos e seus avós por parte de mãe. Caminharam por diversas horas no sol ardente do deserto, quando sua mãe começou a passar muito mal. Conseguiram socorro em um dos vilarejos, mas a mãe não resistiu e veio a falecer, juntamente com o bebê no ventre. Eles receberam alguma ajuda e continuaram o plano de fuga. No deserto, uma das crianças de perde do grupo e é assassinada pelos terroristas. Era a irmã de Hannah com apenas 4 anos de idade. Mesmo com toda essas perdas e dor, eles conseguiram deixar o país juntamente com os avós maternos. Hoje eles vivem em um campo de refugiados. Passam vários dias sem se alimentarem, muitas vezes apenas com água. Quando encontrei essa família, eles estavam um dia e meio sem comerem nada. As crianças não frequentam a escola e sofrem com distúrbios emocionais. Nosso projeto começou a ajudá-los com alimentação e educação das crianças, mas isso só é feito uma vez por semana. Bom, apesar de todo esse sofrimento Hannah é uma menina carismática, sorridente e muito amável. Fica muitas horas no meu colo, cariciando meu rosto. Esses dias me chamou de pai e me deu um beijo no rosto. Já deu vontade de trazê-la para casa, no entanto, Hannah representa apenas uma criança das milhares delas na mesma situação. Essas crianças precisam das nossas intercessões. Vamos levantar um clamor em favor da Hannah, ela como representante de todas as crianças refugiadas que tem necessidades das mais diversas.    

A CAIXA DE BAND-AID

Uns dias atrás fui ao mercado comprar uma caixa de band-aid. Por ser um band-aid de tamanho maior, especial, apenas 3 deles em cada caixa. Uma caixa bonita, um pouco grande e com um preço maior que as outras caixas. Comprei apenas uma caixa e retornei para a casa. Um dia a noite, precisei do band-aid especial e lembrei-me da caixa que havia comprado. Corri para a gaveta, peguei aquela caixa bonita e quando abri para a minha surpresa a caixa estava totalmente vazia. Alguém havia tirado os band-aids de dentro da caixa e devolvido apenas a caixa vazia na prateleira do supermercado. Que sentimento horrível que me veio no coração. Primeiramente me senti lesado por pagar caro de uma caixa vazia. Segundo, achei injusto ter que passar por isso. Terceiro, não tinha nada para cobrir a minha ferida. Bom, decidi ir dormir sem tratar do meu machucado, mas a caixa de band-aid não saía da minha cabeça. Comecei então a pensar que muitas vezes eu mesmo sou como essa caixa de band-aid vazia. Por fora bonita, cara, mas por dentro vazio, sem nada para oferecer. Quando vezes como igreja de Cristo, somos assim, temos um belo templo, cadeiras confortáveis, ar condicionado, mas somos incapazes de curar as feridas das pessoas que nos visitam. Somos vazios… Com toda essa ministração de Deus ao meu coração, tive que deixar de dormir, dobrar meus joelhos e rogar por misericórdia. Deus me livre de ser uma caixa de band-aid vazia!!!!! 

FAMÍLIA…

Agradecemos a todos os irmãos que tem intercedido em nosso favor. Nossa família caminha bem e a cada dia estamos vendo os cuidados de Deus em nosso favor. Nossos filhos estão bem, gostaram muito da escola e já fizeram muitos amigos. A Claudia começou a envolver com dois projetos com mulheres e está cada dia mais sentindo bem no novo campo. Estamos todos envolvidos com um projeto de plantação de igrejas, além do nosso foco com ajuda aos refugiados. Estamos cada vez mais encantados com as crianças refugiadas, pelo desempenho delas nas atividades, pela facilidade de memorizarem as Escrituras e pelo carinho que elas demonstram pela nossa equipe tentando retribuir o que fazemos por elas. Somos gratos por Deus nos direcionar a esse novo campo e pela maneira que Ele tem cuidado de nós. Louvado seja Seu Nome para todo o sempre. 

NOVOS OBREIROS…

No dia 25 de Agosto tivemos um dia muito especial. Em um cerimônia pequena com aproximadamente 80 pessoas presentes, tivemos a graduação de 10 pastores árabes que completaram seu curso de Teologia. No mesmo dia foi consagrado 2 mulheres para a obra missionária. Alguns dias depois, no dia 29 de Agosto em um cerimônia menor ainda, com apenas 12 pessoas, tivemos a graduação de 4 pastores ex-muçulmanos, que por motivo de segurança não puderem participar da cerimônia do dia 25. Esses obreiros que já estão envolvidos na plantação de novas igrejas e serão num futuro breve ordenados como pastores pela imposição de mãos dos líderes da igreja daqui. Que alegria ver Deus levantando os nacionais para dar continuidade aos ministérios dos missionários. Esse é o nosso alvo e propósito de estarmos aqui, para que um dia os árabes assumam a liderança completa. As 2 missionárias vão se unir a outros 25 obreiros que já servem em campos não alcançados. É Deus plantando a igreja aqui e ao mesmo tempo fazendo dessa mesma igreja, uma comunidade missionária, que envia outros ao campo. Eu chorei muito ao ouvir cada nome sendo chamado para receber o diploma. Imagino a festa nos céus nesse dia. Deus continua plantando Seu Reino em locais mais inesperados. Aleluia!!!!

TISBÉ…

Hoje, sábado, passei o dia em Tisbé, que atualmente leva um novo nome Ajloun. Tisbé é um vilarejo pequeno e sem muita expressão. No entanto, Tisbé tem uma importância história porque é a terra natal do grande profeta Elias (I Reis 17:1). É incrível ver que Deus escolheu um local tão inexpressivo para chamar um grande homem. Deus poderia escolher alguém de um local grande, mais famoso e conhecido, contudo, Deus vai em Tisbé para achar Elias. Isso significa que Deus não está a busca de holofotes, mas sim de corações entregues nas mãos Dele. O apóstolo Paulo descreve esse chamado e essa escolha de Deus em sua carta aos Coríntios (1 Coríntios 1:26 a 29). Se Deus chamou Elias da pacata Tisbe, Ele pode chamar eu e você para uma grande obra, o que Ele quer é nossos corações totalmente entregues em Suas mãos. Ajloun continua sendo um local pequeno e sem muita expressão, no entanto, nesse pequeno vilarejo existe um acampamento cristão, um outro acampamento de oração, diversas igrejas e grupos cristãos. Isso mostra que Deus continua com os Seus olhos nesse pequeno vilarejo.  

ORAÇÃO DIFERENTE…

Você tem coragem de fazer essa oração hoje? …Que Deus me abençoe com RAIVA, da injustiça, desonestidade e falsidade; Que Deus me dê DESCONFORTO com a situação dórmida da igreja; Que o Eterno me conceda bastante PERSEGUIÇÃO para que eu sinta na pele o que meus irmãos sofrem por causa da sua fé ao redor do mundo; Que o Pai me abençoe com LÁGRIMAS para que eu sinta a dor do meu irmão; Que Ele derrame sobre mim a DOR para eu ser sensível a rejeição, a fome e a guerra ao meu redor; Que o Divino me abençoe com muita INSENSATEZ para ter fé o suficiente para acreditar que é possível transformar o mundo; Que Deus me abençoe com ESCASSEZ para que eu saiba o que muitos missionários passam no seu dia a dia. E por fim que Deus encha meu coração de TRISTEZA no dia de hoje. Tristeza por ver muitos perdidos ao meu redor, e eu que conheço a verdade continuo calado. Que assim seja, em nome Daquele que sentiu tudo isso, quando pendurado em uma cruz. Amém.

EM MEIO A GUERRA…

Em meio a tensão e aos rumores de guerra a Coreia do Norte vai aos poucos sendo transformada. O maior parte da população que não se envolve nas questões políticas (e nem tem oportunidades para isso) segue buscando meios de mudança de vida e são muitos deles que tem escolhido o Cristianismo. Correndo muitos riscos, inclusive podendo ser mortos, eles estão cada dia mais buscando os cultos secretos. Segue em anexo o boletim do Projeto Abraão, leia e louve a Deus por aquilo que Ele está fazendo no país mais fechado do mundo. Divulgue nosso projeto e vamos juntos levantar mais intercessores em favor dos norte coreanos.  

 

ORANDO PELOS POVOS NÃO-ALCANÇADOS

POVO: Os Inuit - Nunavut - Canadá. POPULAÇÃO: 21.000 pessoas. MODO DE VIVER: Seu idioma é o “nunavut”, que significa Nossa Terra. É um povo principalmente pescador de morsas, ursos polares, etc; que lhes fornecem carne e pela para se protegerem do frio. Os Inuit se declaram cristãos, mas é muito comum entre eles o suicídio, o alcoolismo e a dependência química.  OREMOS: Que os cristãos Inuit vivam uma vida cristã autentica e que compartilhem o Evangelho com seu povo.  

POVO: Os Arakaneses – Bangladesh. POPULAÇÃO: 175.000 pessoas. MODO DE VIVER: É um grupo de refugiados que vivem isolados nas montanhas ao leste, limítrofes com a Índia. São menosprezados, vivem em constantes guerrilhas e estão sendo consumidos pela pobreza. A metade deles é muçulmana e a outra, pratica o budismo. Não existe trabalho de evangelização entre eles.  OREMOS: Que Deus envie missionários entre eles e que os mesmos possam se adaptar às inóspitas montanhas em que vivem.

OF e CL

“Coragem para ser diferente, compromisso para fazer diferença”

Oriente Médio – Golfo Pérsico

 
PROJETO ABRAÃO: www.projetoabraao.com.br

Comentários