Mis. Lucas Lima e Juliana (Mongôlia) 23/06/17


Completaremos logo um mês de vida em Ulaanbaatar na Mongólia. Estes dias tem sido para nós um mix de muita alegria e dor pelo trabalhar de Deus em áreas profundas de nosso coração. Mas temos clareza por meio das Escrituras que todas as coisas têm colaborado para nosso crescimento. Rm 8.28

Partimos do Brasil no dia 25 de maio. Foram 6 dias de viagem no total, com muitas provações no trajeto. Tivemos que desfazer de mais da metade de nossas bagagens em Madri. Quase não embarcamos na Tailândia em sentido a Mongólia – devido ao agente de viagens não ter me enviado as passagens de volta (exigência do Governo Mongol). Então, tivemos que comprar passagens de saída da Mongólia minutos antes de fechar o check in, e por isso, tivemos um custo extra de pouco mais de dez mil reais em nosso orçamento.

Todas essas provações têm me feito consciente do quanto ainda preciso crescer com Deus, encontrar resiliência nele, e agradecer com alegria e confiança por todo o processo dEle em nós. Sabemos que isso é só o início de tudo que encontraremos à frente neste projeto. Temos sido encorajados a encontrar graça por meio das disciplinas espirituais: jejum, oração, meditação, estudo da Palavra, arrependimento e coração quebrantado.

“Então Jó respondeu ao Senhor: Sei que podes fazer todas as coisas; nenhum dos teus planos pode ser frustrado. Tu perguntaste: ‘Quem é esse que obscurece o meu conselho sem conhecimento?' Certo é que falei de coisas que eu não entendia, coisas tão maravilhosas que eu não poderia saber. Tu disseste: ‘Agora escute, e eu falarei; vou fazer-lhe perguntas, e você me responderá’. Meus ouvidos já tinham ouvido a teu respeito, mas agora os meus olhos te viram. Por isso menosprezo a mim mesmo e me arrependo no pó e na cinza". Jó 42:1-6

Já o nosso tempo aqui tem sido muito bom. As crianças estão muito felizes. Parece que aqui é nossa casa. Deus nos deu bons amigos Mongóis – os quais tem nos ajudado em tudo e ainda nos ensinado as primeiras frases em Mongol. Após muito procurarmos, encontramos um apartamento para morar e escola para as crianças, um de frente para o outro, e numa região menos poluída (algo muito importante durante o inverno), dentro do valor que podíamos pagar.

Estamos fechando parcerias para conseguirmos o visto de trabalho aqui – pois o visto religioso não será possível neste momento de eleições, e em três semanas iniciaremos o aprendizado da língua Calca Mongol. Todo mais, tem sido de grande prazer para nós: a comida, a cultura, cada momento de diversão que temos. Estou também tomando notas de primeiras percepções da cultura seguindo o modelo de pesquisa de nosso querido irmão e missionário Ronaldo Lidório. Aqui na Capital, encontramos quase de tudo. Com exceção as frutas, legumes e verduras – os quais são um pouco limitadas. Mas nada que tem feito grande falta para nós. Junho, julho e agosto é verão e meses de férias. Muitos serviços fecham aqui neste período e começam a voltar em meados de agosto. Tempo de as famílias irem para o interior tomar sol, adquirirem vitamina D e ar puro. Já visitamos algumas igrejas, estamos conhecendo a cidade, conhecemos um pouco mais sobre a região das gers (tendas) – aqui na capital, em torno de quase um milhão de pessoas vivem em tendas e essa região não tem acesso a água e esgoto e outros serviços públicos, e de onde procede a maior parte da poluição, produzida pela queima de carvão mineral usado para aquecer no inverno. Algo que me deixa muito feliz é ouvir testemunhos de cristãos mongóis que antes nunca haviam ouvido falar de Jesus e hoje são crentes tão maduros. A igreja Mongol está iniciando a sua segunda geração de crentes desde 1990 o qual foi aberta as portas para a entrada do Evangelho.

Por favor agradeçam pelo todo cuidado e graça de Deus conosco e por essas necessidades:

  • Pela parceria com alguma ONG para visto de trabalho e aprovação do mesmo pela imigração;

  • Por cada parceiro financeiro neste período de crise no Brasil, e por novos parceiros para

    completarmos o orçamento que precisamos para realizar o projeto aqui;

  • Por um veículo que nos permita fazer viagens ao interior da Mongólia e para fazer visitas aos

    nômades;

  • Estamos encontrando dificuldades em receber as ofertas de uma igreja parceira do EUA, orem para que este recurso possa chegar logo para nós. Neste próximo mês este recurso fará falta para nós.

  • Em agosto teremos que sair do País para dar entrada no visto de trabalho, provavelmente iremos para Moscou. Ore por lugar para ficar e pelas passagens de volta para a Mongólia que ainda temos que comprar.

  • Ore por nossa adaptação, por um aprendizado da língua e por nossa saúde.

  • Pela população Mongol que sofre com a poluição;

  • Pelas eleições que ocorrerão neste domingo dia 25 de junho, algo que definirá a situação dos missionários estrangeiros aqui, orem por estes missionários;

  • Pela igreja local o qual está começando a ser influenciada pela teologia da prosperidade;

    Agradecemos pela fidelidade de cada um em orar e financiar este projeto.

    Que não nos falte compromisso com o Senhor e que possamos sonhar com Ele e o tesouro que nos aguarda no paraíso. 

 

Lucas, Juliana, Flora e João.

Comentários