Mis. Lucas Lima e Juliana (Mongolia) 19/01/18


Olá queridos. 2018 cheio da paz, alegria e a vida que só encontramos em Jesus. Terminamos 2017 com um coração agradecido a Deus por chegar até aqui com alegria e olhos fitos em Jesus e no Seu propósito para nós aqui na Mongólia. Já fazem sete meses que estamos aqui. Wow! Este foi um ano muito especial, porque após de 11 anos sonhando com os mongóis e outros 8 anos sendo preparados, Deus nos trouxe aqui por meio de sua mão pdoerosa. Mas também, foi um ano de muitas mudanças, ajustes e situações bem difíceis.

Graças a Deus obtivemos o visto para um ano. Após voltar da Rússia para a Mongólia no fim de setembro, temos estudado mongol todas as manhãs, eu (Lucas) trabalhado como voluntário todas as tardes, visitado regiões da Mongólia para conhecer a realidade delas, e buscar de Deus, onde iremos iniciar o projeto após aprender a língua. João está indo para uma escola mongol e Flora está estudando em casa com Juliana em inglês e estudando Mongol com a gente.

Gostaria de agradecer a Deus por essa incrível organização que me ajudou a obter meu visto permanente e me deu o privilégio de servir crianças na Mongólia por meio do voluntariado. Além disso, aqui posso aprimorar a língua mongol também.

Viagens para o interior da Mongólia

Até agora visitei 7 províncias (estados) dos existentes na Mongólia. Esta uma parte importante do projeto nestes dois primeiros anos. Gostaríamos de saber de Deus o lugar onde vamos servir depois de aprender o idioma. Abaixo está um resumo de cada viagem.

Arkhangai

Na província de Arkhangai, me reuni com professores e visitei uma escola em uma Ger (tenda) e conheci as principais necessidades. Também visitei uma pequena igreja em um a Ger (tenda).

Bayankhongor

Na província (estado) de Bayankhongor também conheci alguns professores. Oramos por esta província e ouvi sobre necessidades. Louvado seja o senhor, porque aqui há algumas igrejas crescendo com o Senhor Jesus graças a trabalho de outros missionários, inclusive o trabalho de uma família brasileira que por muitos anos viveu aqui nesta província.

Orkhon

Essa é a terceira maior província em numero de população na Mongólia. Depois disso, após Ulaanbaatar a capital, Erdenet em Orkhon é a cidade com mais cristãos. Mas isso não significa que seja suficiente, isso representa cerca de 1% da população. Ainda é considerada não alcançada. Lá conheci alguns líderes de igrejas e professores também.

Uvs, Bayan-Ölgii and Khovd

Três províncias em uma viagem. Esta foi um presente de Deus. Este grupo de missionários do Cru Mongólia estava indo para aquelas províncias para treinar os poucos cristãos de lá e me convidaram para ir com eles. São as províncias mais isoladas da Mongólia que estão na fronteira com a Rússia, a China e o Cazaquistão. Gostaríamos de agradecer a MAF Mission Aviation Fellowship por servir com amor, os extremos de todos os lugares.

Uvs

Até agora essa é a província que encheu nosso coração. A mais isolada, pouquíssimos cristãos, nenhum pastor, missionários ou qualquer trabalho com nômades. Foi uma viagem incrível e dolorida! Os crentes de lá estão famintos por Deus, e ninguém para alimentá-los. Ainda temos 14 províncias para visitar até o final do nosso tempo em Ulaanbaatar, mas eu realmente amei esse lugar.

Bayan-Ölgii

É uma região de cazaquistaneses no extremo oeste da Mongólia. As pessoas falam kazakh e 98% são muçulmanos. Os raros cristãos são perseguidos se reúnem escondidos. Foi muito emocionante se juntar a eles para adorar a Jesus. Há um único pastor lá e os irmãos são apaixonados por Jesus.

Khovd

Em Khovd, um missionário que conheci convidou-me para pregar na igreja em uma Ger (tenda). No dia seguinte, encontrei-me c/ médicos e professores e compartilhei meu testemunho.

Ainda na província de Khovd, treinamos alguns irmãos e irmãs para usar filmes e mídias para compartilhar o evangelho e discipular. Após o treinamento, fomos usar as ferramentas em mongol criadas pela Cru. Reunimo-nos com os líderes das igrejas e oramos juntos.

Khentii

A província de Khentii, fui com a equipe da World Vision Mongolia. Fui para conhecer a realidade das escolas no interior da Mongólia. Há muito a fazer! Que Deus nos capacite e prepare pessoas que ajudem no desenvolvimento e alívio da pobreza aqui.

As famílias nômades enviam seus filhos para dormitórios quando eles completam 6 anos e eles ficam lá até a graduação no ensino médio. 40% da população da Mongólia são nômades. As condições das escolas e dormitórios são tão precárias e o governo não têm recursos para melhorá-las. As crianças ficam sem os pais nesses dormitórios e precisam fazer tudo sozinhos. Apenas um alimento muito simples é fornecido pelo governo. Muitas garotas engravidam adolescentes ali e precisam parar os estudos.

Banheiros de fossa do lado de fora ainda são usados na Mongólia e são bem comuns. Até na capital, mais de metade da população ainda usa. No inverno, crianças saem, às vezes a -40 graus para suas necessidades.

Ainda na província de Khintii visitei algumas famílias nômades. Eles moram em Gers (tendas como esta) e são pastores. É um grande desafio compartilhar o evangelho com eles e discipulá-los. 

 Pequenas crianças os quais conheci irão para os dormitórios em poucos anos. Estou realmente tocado por esta situação.

Adaptação de nossas crianças

Louvamos a Deus porque nossos filhos estão se adaptando bem mesmo em meio muitas dificuldades. 

João está indo para o jardim de infância. Ele fez amigos, come comida da escola, ama seus professores e já entende um pouco o idioma e diz algumas palavras em mongol.

Flora não se adaptou tão bem na escola mongol. Decidimos tomar o segundo plano: ensiná-la em casa todo o currículo, como já fazíamos com a língua portuguesa. Agora, podemos ver a Flora mais confiante e feliz por estar aqui. Deus tem cuidado dela! Descobrimos no balé o caminho para interação e ganho de confiança.

Um pedido de oração especial é pelo clima extremo e a fumaça de carvão produzida pelo governo e por mais de um milhão de pessoas que vivem em tendas aqui na capital. Todos sofrem, especialmente os mais pobres. Ulaanbaatar é a cidade mais fria e poluída do mundo! Orem por meu voluntariado na World Vision. A maioria dos meus colegas não são cristãos. Tenho compartilhado de Jesus com eles. Continue orando pela situação política do Brasil e por todos os irmãos e igrejas que fazem parte desse projeto financeiramente.

Agradecemos a Deus por cada um de vocês por estarem conosco neste projeto, por orar e amar os mongóis conosco. Todos somos muito abençoados por trabalhar neste projeto.

Lucas, Juliana, Flora e João

Comentários